Brasileiros vão gastar mais de 50% de Auxílio no supermercado

Cálculos levam em conta todos os benefícios acoplados à PEC, como os aumentos do Auxílio Brasil e do Auxílio Gás (Getty Creative)
Cálculos levam em conta todos os benefícios acoplados à PEC, como os aumentos do Auxílio Brasil e do Auxílio Gás (Getty Creative)
  • Brasileiros deverão gastar mais da metade dos recursos extras com supermercado

  • Reabertura de bares e restaurantes deve gerar demanda adicional

  • PEC das Bondades faz parte dos planos de Bolsonaro para tentar aumentar sua popularidade frente a eleição

Uma estimativa da Abras, a a associação que representa os supermercados no Brasil, aponta que as famílias brasileiras deverão gastar de 50% a 60% dos recursos extras disponibilizados por meio dos auxílios aprovados na PEC dos Benefícios com compras de supermercados.

Segundo informações do portal UOL, os cálculos levam em conta todos os benefícios acoplados à Proposta de Emenda à Constituição (PEC), como os aumentos do Auxílio Brasil e do Auxílio Gás e a criação de auxílios a caminhoneiros e taxistas.

O vice-presidente institucional e administrativo da Abras, Márcio Milan, mencionou que a reabertura de bares e restaurantes, adiada por conta do auge da pandemia de Covid-19, deve gerar demanda adicional destes estabelecimentos.

PEC das Bondades

Criada pelo governo para aumentar ou estabelecer novos benefícios sociais até o fim do ano, a PEC das Bondades faz parte dos planos de Bolsonaro para tentar aumentar sua popularidade frente a eleição deste ano.

Com um custo estimado de R$ 41,25 bilhões, o projeto visa a declaração de um estado de emergência devido ao alto preço dos combustíveis. Com isso, ficariam suspensas as limitações das Leis das Eleições e do Teto de Gastos para a criação de novos benefícios, especialmente em ano eleitoral.

Uma das primeiras medidas a ser adotada pelo governo Bolsonaro com a PEC é o aumento do Auxílio Brasil, subindo o valor de R$ 400 para R$ 600. Para isso, o governo destinou R$ 26 bilhões, que segundo o relator da PEC no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), também é suficiente para zerar a fila de espera do programa.

Além deste há outros benefícios previstos na PEC, como um subsídio para transporte gratuito de pessoas com mais de 65 anos e outro para a produção de etanol. Ambos terão um impacto de R$ 2,5 bilhões e R$ 3,8 bilhões. Além disso, há também um plano alimentar do governo, o Alimenta Brasil, que terá um orçamento previsto de R$ 500 milhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos