Breaking Bad? Professores de química são presos por fabricar metanfetamina

Caso sejam declarados culpados, os dois enfrentarão até 20 anos de prisão (Foto: Clark County Sheriff's Office)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Caso aconteceu em Arkansas, nos Estados Unidos

  • Dois professores são suspeitos de sintetizarem metanfetamina no laboratório da faculdade

Os professores Terry David Bateman, de 45 anos, e Bradley Allen Rowland, de 40, foram presos suspeitos de usarem o laboratório da faculdade onde trabalham para fabricar metanfetamina e vender a droga a estudantes. O caso ficou conhecido como “Breaking Bad da vida real”, uma alusão à série em que o professor de química Walter White se torna um traficante.

Os dois eram professores associados na Henderson State University. A rede de notícias Sky News reporta que as investigações começaram quando um funcionário da universidade reclamou do odor forte que vinha do laboratório de ciências. No dia 8 de outubro, a sala foi fechada para que uma empresa inspecionasse, limpasse e ventilasse o local. Bateman e Rowland tiraram uma licença administrativa no dia 11.

Leia também

As investigações sobre a origem do forte cheiro encontraram traços de cloreto de benzila no laboratório. Dentre outras aplicações, a substância pode ser usada para sintetizar metanfetamina. Em pouco tempo, a investigação policial apontou o envolvimento dos dois professores na operação.

O site Deadline destaca que o professor Rowland já foi chamado de "Heisenberg da Henderson" pelo jornal da universidade – Heisenberg é o apelido de Walter White em Breaking Bad. Em uma entrevista à publicação, Rowland disse que era fã da série porque ela despertou o interesse dos alunos em química.

Caso sejam declarados culpados, Bateman e Rowland poderão enfrentar uma pena de até 20 anos de prisão.