BRF inaugura nova fábrica de salsichas no Rio

·2 minuto de leitura

Rio - No dia em que completa 87 anos, a BRF inaugurou emSeropédica, na Baixada Fluminense, no Rio, a sua primeira fábrica destinaexclusivamente para produção de salsichas. O investimento é de R$ 300 milhões ecriou em torno de 350 empregos.

Segundo LorivalLuz, CEO global da BRF, a nova fábrica vai aumentar em 10% a capacidadeprodutiva de salsichas da empresa, que não estava sendo atendida diante do aumentode consumo. Esta produção, diz, será voltada para mercado interno,especialmente a região Sudeste, com destaque para o Rio de Janeiro.

Apesar do aumento da adesão de pessoas contra alimentos industrializadose embutidos, a alta nos preços fez com que os brasileiros trocassem carne,frango e porco por ovos e salsicha com mais frequência, o que ajuda a explicar estaalta do consumo.

A BRF tem ao todo (com esta de hoje) 35 fábricas no Brasil ecinco no exterior. A produção de salsichas é feita em vários estados, emespecial em Videira (SC). No estado do Rio, eles também têm um centro dedistribuição em Duque deCaxias.

Inicialmente, serão fabricadas 140 toneladas por dia dasalsicha Perdigão, que detém 40% do market share no valor das vendas totais do produto,podendo dobrar a capacidade. Tanto que a BRF já comprou os terrenos vizinhos,uma área total de 300 mil m² em torno da planta de 30 mil m² de área construídas.

— Ela está preparada para umaexpansão adicional e mais flexível, para atender produtos mais inovadores mesmona salsicha. A princípio, não pensamos em outros produtos aqui.

Investimento de R$ 2, 5bilhões até 2030

A nova fábrica faz parte de uma estratégia da empresa detriplicar de tamanho, que inclui um investimento total de R$ 2,5 bilhões até 2030 e melhorar asustentabilidade da companhia.

Em Seropédica, 10% da energiaserá solar através de 600 painéis solares e a água eresíduos serão reaproveitados. Houve também investimento em novas tecnologiaspara deixar os processos energeticamenteeficientes.

Ontem, a BRF anunciou ainda a formação de joint venture comsubsidiária da AES Brasil para a construção de um parque eólico em Cajuína, noRio Grande do Norte.

A capacidade instalada será de160 megawatts médios (MWm), com geração de 80 MWm, que a AES comercializará pormeio de um contrato de compra e venda de energia de 15 anos.

Xiaomi:Amplia aposta no varejo físico e anuncia chegada a Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba

O investimento total estimadoé de R$ 825 milhões, sendo que a BRF investirá de forma direta aproximadamenteR$ 80 milhões.

Com o parque eólico, ABRF vai atingir uma de suas metas de chegar a 2030 com mais de 50% da suamatriz elétrica proveniente de fontes limpas.

O início das operações doparque está previsto para 2024 e esta joint venture ainda está sujeita à aprovação das autoridades competentes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos