Bridgerton: 3 motivos que explicam como a série virou a mais vista da história da Netflix

Analía Llorente - BBC News Mundo
·5 minuto de leitura
Daphne e Simon
Série Netflix foi assistida por mais de 80 milhões de usuários

Bridgerton foi coroada a série original mais assistida da história da Netflix.

A plataforma de streaming disse por meio de um comunicado que 82 milhões de contas assistiram à série em seus primeiros 28 dias de transmissão após a estreia, em 25 de dezembro.

Bridgerton, que recria a vida de famílias da realeza e da alta sociedade na Inglaterra no início dos anos 1800, desbancou outras séries originais do serviço de streaming: The Witcher, Lupin, O Gambito da Rainha e até mesmo Stranger Things.

Porém, vale esclarecer que a metodologia de contabilização da Netflix pode ser polêmica, pois a plataforma considera o número de contas que assistiram o conteúdo por dois minutos ou mais.

Daphne e Simon
Bridgerton se passa na Inglaterra dos anos 1800

De qualquer forma, Bridgerton virou pop, e seus protagonistas comemoraram a notícia.

"Estou MUITO orgulhosa da incrível equipe por trás desta série! E obrigada a todos por amá-la", escreveu Phoebe Dynevor, a atriz de 25 anos que interpreta a protagonista Daphne Bridgerton, em seu Instagram.

Regé-Jean Page, cuja atuação como o belo duque de Hastings ganhou elogios, também comemorou a conquista.

"82 milhões com amor de todos nós para todos vocês", escreveu Page em sua conta oficial no Twitter.

Mas o que torna Bridgerton um sucesso tão grande na Netflix em 83 países? Perguntamos a alguns especialistas.

1. Drama, amor e glamour

Os trajes coloridos de Bridgerton, as casas glamourosas com suas fachadas decoradas com flores e as histórias divertidas que se entrelaçam capturaram o interesse do público global.

Nicola Coughlan (à esquerda) como Penelope Featherington e Claudia Jessie como Eloise Bridgerton
Nicola Coughlan (à esquerda) como Penelope Featherington e Claudia Jessie como Eloise Bridgerton

Baseada na série de romances de mesmo nome escrita pela americana Julia Quinn, Bridgerton retrata o universo dos membros de uma família na Londres do século 19.

"A popularidade de Bridgerton desde seu lançamento na Netflix não me surpreende. As pessoas adoram programas cheios de drama, escândalos e gente bonita", diz Carolyn Hinds, escritora e membro da Associação de Críticos do Cinema Afro-Americano (AAFCA).

Além disso, as atuações de Page e de Dynevor do relacionamento conturbado do duque e da duquesa — com cenas tórridas de sexo — contribuíram para o sucesso da série.

"Os públicos britânico e americano amam ficção de época. A decadência (moral), joias, mansões de campo e guarda-roupa compõem uma série visualmente atraente", descreve Steven McIntosh, jornalista de entretenimento da BBC.

Golda Rosheuvel como a Rainha Charlotte
Elenco da série caracteriza-se por ser muito variado

E tudo indica que a série tem uma mistura de ingredientes interessante.

"Minha opinião é que Bridgerton tem tido muito sucesso por causa de sua combinação muito popular de duas coisas que não tínhamos visto juntas antes: escapismo da ficção clássica de época, e o glamour brilhante e a sensualidade de um drama juvenil moderno", diz Hugh Montgomery, jornalista da BBC Culture.

Shonda Rhimes
Shonda Rhimes é uma roteirista e produtora executiva americana de sucesso

2. Atores jovens e diversos

Outro fator que torna essa série muito popular é a diversidade de atores que interpretam os personagens.

A produtora-executiva da série, Shonda Rhimes (a mesma de Grey's Anatomy e um dos maiores nomes da televisão americana), foi elogiada pela variedade de seu elenco, dando a atores negros papéis que eram tradicionalmente ocupados por brancos.

Claro que não há muitos sinais de que as classes altas do século 19 fossem altamente diversificadas racialmente, mas é verdade que pessoas de diferentes etnias viviam juntas em Londres naquela época.

"Só queria normalizar o fato de que negros e asiáticos estavam lá, que havia diversas pessoas na Inglaterra", disse a roteirista Joy Mitchell ao programa Newsbeat, da BBC.

Mitchell fez parte da equipe de roteiristas que adaptou os livros nos quais Bridgerton se baseia.

"Essas pessoas foram apagadas da história e Bridgerton as incluiu em grande estilo", acrescentou.

A série foi criada especialmente para o público da geração Y e da geração Z, pessoas nascidas entre 1980 e 2010.

E foi comparada pela crítica e até pelo próprio Regé-Jean Page como uma mistura de Gossip Girl e 50 Tons de Cinza, como ele disse no popular talk-show americano The Tonight Show with Jimmy Fallon.

Adjoa Andoh é Lady Danbury e Regé-Jean Page, Simon Basset
Série foi descrita como um cruzamento entre "Gossip Girl" e "50 tons de cinza"

"Sua natureza lasciva, junto com seu elenco jovem e diversificado, faz com que ela também agrade a um público mais jovem", assinala McIntosh, da BBC.

"O fato de ser uma adaptação de um popular romance indica que existe uma base prévia de fãs, mas a adaptação para a televisão a apresentou a um novo e grande público", acrescenta.

3. O momento certo

Mas talvez um dos fatores que mais impactaram o grande interesse do público pela série tenha sido o momento de sua estreia.

Bridgerton foi lançada em dezembro de 2020, após vários meses de pandemia de coronavírus, na qual muitos países implementaram lockdowns intermitentes.

"Seu lançamento, no dia de Natal, ocorreu em um 'momento perfeito', em meio a período de ansiedade generalizado", diz Montgomery.

"Com certeza, é o tipo de série de televisão para esse momento pelo qual estamos passando. As pessoas procuram coisas que sejam reconfortantes, agradáveis e não muito pesadas, que não sejam intelectual ou emocionalmente profundas."

Daphne e Simon
Figurinos e cenas de dança adicionam um toque glamouroso à série

Mas embora este seja, sem dúvida, um momento especial em que o público busque distração, "isso não significa que devemos ignorar os problemas óbvios que existem na série, como colorismo (discriminação pela cor de pele) ou agressão sexual", diz Carolyn Hinds.

Haverá uma segunda temporada de Bridgerton?

A Netflix disse aos seus investidores que haverá uma segunda temporada da popular série e, segundo integrantes da produção, ela terá como foco os romances de Anthony Bridgerton, o mais velho dos filhos da prestigiosa família britânica.

"Espero que os produtores e roteiristas da série escutem as críticas e façam as melhorias necessárias", conclui Hinds.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!