Briga em grupo de WhatsApp expõe desavenças de aliados de Bolsonaro

A deputada eleita Joice Hasselmann e Major Olímpio ‘se estranharam’ em troca de mensagens no WhatsApp na última quinta-feira. (Renato S. Cerqueira/Futura Press) 

Um grupo de WhatsApp batizado de “Bancada PSL 2019” foi palco de uma discussão generalizada entre membros do PSL, o partido do presidente eleito, Jair Bolsonaro, na madrugada da última quinta-feira, 6.

A briga expôs intrigas e disputas de poder entre membros do PSL. De acordo com o jornal O Globo, no centro da briga está a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que estaria tentando se impor como liderança do partido nas articulações do governo. As críticas da deputada teriam desagradado o major Olímpio. Entenda a confusão:

Articulação ‘abaixo da linha da miséria’

Em uma das mensagens, Joice teria dito que o partido tem articulação política “abaixo da miséria” e alegou que estaria tentando melhorar o diálogo no parlamento. Os membros do grupo não gostaram da crítica e questionaram a deputada sobre declarações que ela fez à imprensa afirmando que poderia ser a líder do governo na Câmara.

Em certo momento, Olímpio declarou: “O presidente se reuniu comigo e com o delegado Waldir por sermos veteranos, para ajustarmos a interlocução na Câmara e no Senado (…) Nenhum de nós quatro pedimos articulador para nos representar, ao contrário, se assim acontecer, será desconsideração conosco. Tanto Waldir quanto eu recebemos as orientações do presidente que deixou bem claro que não tem nada definido para liderança de nada e que o partido lutasse pelos espaços”, disse.

Joice respondeu que haveria “disputas de espaço pouco republicanas” em curso no partido. “Não vou jogar fora a interlocução que tenho, que construí muito antes de ser candidata, por vaidades, ou disputas de espaço pouco republicanas. Comigo é de forma clara, como tenho feito com vocês. Qualquer dúvida podem me procurar no privado. Nossa articulação oficial na Câmara e no Senado, repito, está abaixo da linha da miséria”, indicou.

A deputada relatou ainda que recebeu reclamações de senadores sobre a falta de interlocução com o governo, o que desagradou Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, que atualmente trabalha nesse sentido.

“Interessante que hoje, no Senado, ouvi a seguinte frase de cinco senadores: ‘não temos interlocução nenhuma com o governo e com o PSL no Senado’ e me pediram ajuda”, disse Flávio.

‘Mal informados’

Major Olímpio também rebateu Joice. “Os senadores que você diz que articula estão mal informados. Temos quatro senadores atuantes. Quanto ao Waldir, ele perguntou ao presidente se havia restrição em ele se colocar à liderança do partido ou do governo na Câmara e o presidente disse que não fazia restrições a ninguém”, disse.

Em outro momento, Joice criticou diretamente Olímpio. “Interessante saber que o senhor está articulando à revelia da bancada e do presidente do partido. Sugiro conversar com a bancada e com presidente da sigla. Boa noite”, declarou.

O senador rebateu: “De jeito nenhum. O presidente que chamou a mim e ao Waldir em agenda oficial. Nada escondido, em perfeita sintonia com o presidente Bivar, que hoje me designou para representá-lo e ao PSL no Congresso Nacional de Câmaras Municipais. Não estou me metendo nas articulações da Câmara e sim apoiando o LÍDER EDUARDO E VICE LÍDER WALDIR PORQUE ME ELEGI SENADOR E É LÁ QUE TENHO QUE ARTICULAR. Eu respeito hierarquia e respeito meus colegas parlamentares. Eu PERCO TEMPO COM QUEM NÃO É LÍDER. Boa noite”, disse.

Joice disse que Major Olímpio tinha sido eleito por Bolsonaro. “Ademais, o senhor deveria ‘perder’ um pouco do seu tempo com a bancada, além do líder, pq o senhor TEM OBRIGAÇÃO. Isso não é um quartel, major, é um partido”, disse.

“Sei que não é quartel. No quartel, todos têm papel definido, têm responsabilidades, respeitam os companheiros. Pergunte aos deputados antigos e novos se dou atenção e respeito? Eu perco todo o tempo com todos os parlamentares que pedem ajuda ou conselho, mas respeito cada um deles. A humildade e o respeito cabem em todos os lugares. Nunca menosprezei ninguém me insinuando para qualquer função desconsiderando os demais. Aliás, o mais bobinho aqui é deputado federal e senador e sabe distinguir quem é quem. Boa noite”, respondeu o major.

Patota

Hasselmann seguiu a discussão pelo WhatsApp, declarando que é tarde para fazer articulação. “Uma pequena patota não é a bancada. Ainda dá tempo de consertar”, disse. “Não serei eu que terá que rever seus conceitos e consertar. Não estou pedindo nada”, respondeu Olímpio, ressaltando que “o tempo mostrará muito rápido quem é quem”.

Questionado pela publicação, major Olímpio disse que o diálogo não deveria ter sido divulgado, mas declarou que isso não representa nenhum problema para o partido. Joice Hasselman confirmou que houve troca de mensagens, mas não quis comentar o caso.