Briga por ciúmes: o que se sabe sobre chacina que matou ex-GCM e família em SP

Família foi morta após briga por ciúmes na Grande SP - Foto: Reprodução
Família foi morta após briga por ciúmes na Grande SP - Foto: Reprodução
  • Chacina que matou quatro pessoas da mesma família aconteceu após briga por ciúmes

  • Um homem, sua esposa, a mãe e o padrasto dele foram assassinados a tiros na Grande São Paulo

  • A polícia investiga o caso, mas ainda não conseguiu identificar os suspeitos do crime

A Polícia Civil de São Paulo deu novos passos na investigação da chacina que vitimou quatro pessoas da mesma família na última quinta-feira (3) em Pirapora do Bom Jesus, Região Metropolitana da capital.

Um ex-guarda civil municipal, sua esposa, a mãe e o padrasto dele foram assassinados a tiros em uma estrada de terra da cidade, à beira de um lago.

Quem são as vítimas?

As quatro vítimas fatais foram identificadas como Paulo Correa de Souza Junior, de 39 anos, ex-agente da Guarda Civil Metropolitana (GCM), Caroline Ferreira da Silva, 31, Marlene Aparecida Ferreira de Souza, 64, e Israel Aparecido Vintorin, 45.

Todos eles foram encontrados com marcas de bala pelo corpo do lado de fora do carro da família, que costumava fazer churrascos naquele local.

Motivo do crime

De acordo com o g1, a polícia constatou que o crime aconteceu após uma briga causada por uma crise de ciúmes de Paulo. O ex-guarda civil teria se incomodado com o comportamento de dois jovens que estavam nas proximidades.

"Ele [Paulo], inclusive, deu alguns tapas nos garotos e jogou a bicicleta deles na lagoa. Logo após deixarem o local, um terceiro indivíduo chegou ao local, e os três seriam os autores dos homicídios", disse ao portal a delegada responsável pelo caso, Isabel Ferraz.

Corpos sepultados

Paulo e a esposa foram enterrados no Cemitério Municipal de Santana de Paranaíba. Já Ana Caroline foi sepultada no Memorial Parque Paulista, em Embu das Artes, enquanto o corpo de Israel foi enterrado em Barueri.

Caso é investigado

O episódio foi registrado como homicídio na Delegacia de Santana de Parnaíba e continua investigado pela Delegacia de Pirapora do Bom Jesus.

Alguém foi preso?

Até a última quarta-feira (8), a polícia ainda não tinha identificado o grupo responsável pelos assassinatos. Ninguém foi preso.