Brigitte Bardot pede que Dilma acabe com "genocídio de burros"

Paris, 24 mai (EFE).- A ex-atriz e modelo francesa Brigitte Bardot enviou nesta quinta-feira uma carta à presidente do Brasil, Dilma Rousseff, para pedir um fim no "genocídio de burros" exportados à China para serem utilizados na indústria alimentícia e cosmética.

"Eu, que tanto amei o Brasil e que deixei uma marca inapagável na minha passagem por Búzios, fico triste em ver que esse país colabora com a China para matar, a cada ano, 300 mil burros", escreveu Bardot, que fundou uma associação protetora de animais com seu nome.

O mito erótico dos anos 60 ainda falou que tal cenário não pode ser levada a diante. "Como presidente, mulher e ser humano, Dilma não pode aceitar esta mancha na imagem do Brasil", disse.

Enquanto isso, a associação francesa One Voice, que também pede às autoridades brasileiras que acabem com o comércio de burros, confirmou à Agência Efe que o Brasil e a China assinaram recentemente um contrato para a exportação desses animais.

A One Voice disse ainda que a associação brasileira União Internacional Protetora dos Animais, com a qual colabora, apresentou um processo para que esse contrato com a China seja cancelado em todos os estados do Brasil.

mrp/cl