Última Superlua de 2022 ocorrerá no dia 11 de agosto

Brilho intenso: Última Superlua de 2022 ocorrerá no dia 11 de agosto
Brilho intenso: Última Superlua de 2022 ocorrerá no dia 11 de agosto
  • A Superlua ocorre quando o astro está mais próximo da Terra;

  • De acordo com cientistas, a Superlua pode ficar, em média, 5,5% maior e 11,3% mais brilhante;

  • O melhor horário para sua observação será por volta das 17:30

Brasileiros de todos os cantos do país vão poder observar na noite do dia 11 de agosto a terceira e última Superlua do ano. Apesar do nome dar a impressão de que o satélite natural está maior, o que muda, na verdade, é apenas a percepção do tamanho no olhar humano. O fenômeno ocorre quando a Lua Cheia ou a Lua Nova coincidem com o momento em que o astro está mais próximo da Terra, chamado de perigeu.

Na data, a Superlua ficará visível durante toda a noite. Mas o melhor horário para sua observação será logo após o nascer (por volta das 17:30) devido a perspectiva com referência terrestres como prédios e árvores dá a ela a impressão de estar ainda maior. Além disso, o horário vai proporcionar um espetáculo de cores no céu por conta da interação com a atmosfera.

Por se tratar da Lua Cheia de agosto, o evento é conhecido, especificamente, como Superlua de “Esturjão”. O apelido foi dado pelos povos nativos norte-americanos, por conta da época coincidir com o momento que esses peixes raros de água doce apareciam com mais frequência nos lagos.

O que é uma Superlua?

Quando o fenômeno ocorre, diz-se também que a Lua está em seu ponto perigeu. O ponto perigeu é o ponto da órbita de um satélite em que ele se encontra o mais próximo possível do astro que orbita, ocorre porque as órbitas espaciais tem formato de elipse, e não circulares. Em outras palavras, por não ser um círculo perfeito, o formato elíptico permite que a distância entre os astros seja variável.

O fenômeno da Superlua é associado, erroneamente, a acontecimentos naturais, como terremotos, tempestades e erupções vulcânicas. No entanto, pesquisas científicas não encontraram nenhuma ligação entre as épocas de acontecimento de Superluas e desastres naturais. A associação muitas vezes se dá pelo entendimento, correto, de que a Lua influencia as marés oceânicas.

De acordo com cientistas, a Superlua pode ficar, em média, 5,5% maior e 11,3% mais brilhante do que uma lua cheia normal. Há casos, porém, em que a Lua fica ainda maior do que isso, como em 2011 onde a Lua cheia em seu perigeu chegou a uma distância de proximidade de apenas 356 577 quilômetros da Terra, aparentando ser 7,94% maior e 16,52% mais brilhante.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos