Britânico capitão Tom Moore sofreu ofensas virtuais semanas antes de morrer, diz filha

·1 minuto de leitura
Foto do capitão Tom Moore em memorial de guerra no País de Gales

LONDRES (Reuters) - O capitão Tom Moore, veterano britânico da Segunda Guerra Mundial que arrecadou milhões de libras esterlinas para profissionais do serviço de saúde que enfrentam o coronavírus, foi alvo de ofensas virtuais nas semanas que antecederam sua morte neste mês aos 100 anos, disse a filha dele nesta quarta-feira.

Hannah Ingram-Moore contou à televisão BBC que as mensagens de internet foram mantidas em segredo, dizendo que as ofensas de uma "minoria vil" teriam partido o coração de seu pai.

Moore sensibilizou o Reino Unido submetido a um lockdown ao percorrer seu jardim com a ajuda de um andador para arrecadar 38,9 milhões de libras para o Serviço Nacional de Saúde.

Embora tenha recebido dezenas de milhares de mensagens de apoio, houve quem tenha debochado dele e o ofendido.

"Foi tão horrível quanto poderia ser", disse Ingram-Moore.

"Não podia contar a ele, porque como você explica a um homem de 100 anos que algo tão incrivelmente bom possa atrair tanto horror?"

"Realmente machucou, e realmente é duro lidar com isso, mas lidamos com isso e eles não vencerão, nunca tornarão esta coisa maravilhosa negativa", acrescentou.

Dono de grande presença de espírito, Moore transmitiu uma mensagem simples de esperança e abnegação. Diagnosticado com Covid-19 e lutando contra uma pneumonia, ele morreu no dia 2 de fevereiro.

Seu falecimento gerou condolências da rainha Elizabeth, do Parlamento britânico e da Casa Branca.

(Por James Davey)