Britânico condenado a 15 anos de prisão por tráfico de antiguidades é absolvido no Iraque

O tribunal iraquiano de cassação absolveu um britânico, condenado em junho a 15 anos de prisão por tráfico de antiguidades, e anulou sua sentença, anunciou seu advogado à AFP nesta terça-feira (26).

A sentença de James Fitton foi "anulada hoje pelo tribunal de cassação e meu cliente será liberado em breve", disse o advogado Thaer Saoud, que apelou contra a condenação há mais de um mês.

Em sua conta no Facebook, o advogado publicou a sentença do tribunal de cassação, afirmando que a acusação contra Fitton havia sido "anulada" e que ele seria "libertado por falta de provas suficientes".

O tribunal também observou a falta de "intenção criminosa".

Segundo o advogado, Fitton será solto "nos próximos dias, assim que o processo estiver concluído".

Em primeira instância, o britânico de 66 anos foi considerado culpado de tentar remover antiguidades do Iraque e condenado em 6 de junho a 15 anos de prisão por um tribunal de Bagdá, enquanto seu co-réu, um alemão de 60 anos, foi absolvido.

Volker Waldmann, um psicólogo de Berlim, e James Fitton estavam no Iraque em uma viagem organizada. Eles foram presos em 20 de março no aeroporto de Bagdá com pedaços de pedra, fragmentos de cerâmica quebrados e cerâmica antiga.

lk/hj/bfi/mab/eg/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos