Britânico se declara culpado de invasão ao complexo de Buckingham

·1 min de leitura
Jardineiros trabalham na manutenção do paisagismo fora do Palácio de Buckingham, em Londres, em 22 de outubro de 2021 (AFP/Tolga Akmen)

Um britânico de 44 anos com problemas psicológicos se declarou culpado, nesta sexta-feira (19), de invadir o complexo do Palácio de Buckingham em Londres em maio, onde foi prontamente preso em posse de cocaína e uma faca de cozinha.

Cameron Kalani, natural de Haywards Heath, cerca de 70 km ao sul de Londres, que sofre de "transtorno esquizoafetivo" e uso de drogas, segundo sua advogada, foi visto escalando o portão nas primeiras horas da manhã de 10 de maio e pulando de volta para a rua logo em seguida, explicou o promotor Alexander Alawode.

“Preocupados com esta violação de segurança, os guardas do palácio o detiveram do lado de fora do complexo pouco depois”, e encontraram cocaína e uma faca de cozinha em sua bolsa, acrescentou. "O réu foi descrito como alguém confuso, que não sabia onde estava ou o que estava acontecendo".

De acordo com sua advogada Natasha Lake, Kalani poderia estar sofrendo de esquizofrenia ou sob a influência de substâncias ilícitas na época.

"O Sr. Kalani não sabia ou suspeitava que o lugar em questão era o Palácio de Buckingham", defendeu.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, a Rainha Elizabeth II não ocupou seu palácio em Londres, mas fixou residência no Castelo de Windsor, cerca de 40 a oeste da capital, onde passou os sucessivos confinamentos.

O acusado será condenado em 16 de dezembro.

mpa-acc/meb/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos