Britânicos elogiam heróis anônimos que ajudaram a conter terrorista na Ponte de Londres

Homem visto na Torre de Londres segurando faca usada por suspeito

LONDRES — Autoridades e cidadãos britânicos foram às redes sociais nesta sexta-feira para elogiar "os heróis" que ajudaram a deter o autor de um ataque que deixou dois mortos e três feridos em Londres. O suspeito, que usou uma faca e vestia um colete-bomba falso, foi morto pela Polícia Metropolitana londrina, mas, antes disso, foi atacado e desarmado por pedestres.

Em vídeos e fotos publicados nas redes sociais, é possível ver diversos transeuntes se lançando contra o suspeito para tentar controlá-lo na Ponte de Londres. A ponte, que cruza o Rio Tâmisa, fica próxima à conhecida Ponte da Torre, ponto turístico da capital britânica.

Um homem de terno e sobretudo, em especial, foi o mais elogiado nas redes sociais. Em várias fotos e vídeos publicados no Twitter, é possível vê-lo saindo do confronto segurando a faca usada pelo agressor. Segundo testemunhas, ele gritou em catalão para que as pessoas se afastassem. Um usuário definiu o ato como "incrível bravura".

O ato corajoso das pessoas que passavam pelo local foi elogiado pelo primeiro-ministro Boris Johnson e pelo prefeito de Londres, Sadiq Khan, que agradeceu em nome de toda a cidade.

— Queria agradecer os nossos serviços de emergência, mas também os pedestres que arriscaram suas próprias vidas nesta tarde. São os melhores de nós. Quero agradecê-los em nome de todos os londrinos — expressou o prefeito trabalhista.

As pessoas que intervieram "não sabiam naquele momento que o artefato  era falso", disse Khan a respeito do colete, elogiando a "valentia e a coragem dos londrinos comuns". As autoridades consideraram o ataque  um "ato terrorista".

Stevie Hurst, um dos pedestres que se jogaram sobre o suspeito, disse à rede britânica BBC que viu pessoas correndo e gritando que mulheres haviam sido esfaqueadas. Assim que ouviu os gritos, correu até o homem e começou a chutá-lo.

— Fizemos tudo o que podíamos para tentar fazer com que soltasse a faca, para que não ferisse outras pessoas — disse o guia turístico.

Segundo Hurst, o agressor gritou "bomba" quando a polícia tentou detê-lo, mas logo foram feitos os disparos.

Johnson convocou reunião de emergência do gabinete de crise do governo (COBRA) para analisar a situação. O ataque acontece poucos dias antes de reunião de cúpula da Otan, marcada para as próximas terça e quarta-feira em Londres, e que reunirá vários chefes de Estado. Johnson também elogiou os transeuntes que ajudaram a dominar a situação.

O episódio levou o premier a cancelar um evento de campanha do Partido Conservador na reta final para as eleições do dia 12 para receber atualizações sobre o ataque.

Os trabalhistas, por sua vez, suspenderam a campanha em Londres nesta sexta. O líder do partido  e candidato à próxima eleição, Jeremy Corbyn, disse ter uma "imensa dívida" com as pessoas que "se colocaram em perigo para proteger as demais".

Mais tarde nesta sexta-feira, três pessoas ficaram feridas em Haia, na Holanda, em um incidente com "um objeto perfurante". Os feridos foram levados para hospital, mas o estado de saúde deles não foi revelado.