Britânica consegue engravidar com inseminação artificial caseira

·2 minuto de leitura
View of baby's feet with a hospital security tag on
Foto: GettyImages
  • Stephanie queria ser mãe pela segunda vez, mas não tinha parceiro ou recursos para pagar clínica

  • Ela usou aplicativo para encontrar doador

  • Mãe comprou kit no eBay e aprendeu técnica no YouTube

Uma mulher britânica engravidou com uma doação de esperma de um homem anônimo que conheceu em um aplicativo. Ela fez a inseminação sozinha, com ajuda de um kit comprado no site eBay e se informando por meio de vídeos-tutoriais disponíveis no YouTube.

Stephenie Taylor, de 33 anos, vive em Nunthorpe, em North Yorkshire, na Inglaterra, e é mãe de um menino. Ela queria ser mãe pela segunda vez, mas não tinha um companheiro nem condições econômicas para bancar um tratamento de fertilidade. Por isso, decidiu entrar no aplicativo Just A Baby, uma plataforma similar ao Tinder, na qual é possível encontrar doadores de esperma, que são chamados de “sócios de concepção”.

Leia também:

Realizar a inseminação em uma clínica especializada pode ser muito caro. No Brasil, o valor de uma única fertilização in vitro simples, tem entre 40% e 80% de chance de ser bem sucedida, começa em R$ 2.500, de acordo com sites de clínicas de fertilidade. No entanto, o tratamento completo pode superar os R$ 25.000.

Com o aplicativo, Stephanie buscou um homem com as características que julgou serem importantes: uma pessoa familiar, sem antecedentes de doenças graves e que se parecesse com ela fisicamente. Em pouco tempo, encontrou um candidato que cumpria os requisitos, com quem conversou por três semanas até que marcaram um encontro para que ele entregasse a amostra de semém.

Segundo ela, o doador foi "amável, carinhoso e simpático”. Ela conta também como foi o momento. “Tomamos uma xícara de chá e falamos sobre o tempo”, relatou ao jornal local TeessideLive.

Com o kit comprado no eBay em mãos e depois de se informar sobre o procedimento pelo YouTube, Stephanie conseguiu engravidar na primeira tentativa e deu à luz a uma menina.

“É um milagre”, disse Stephanie, que está muito orgulhosa do feito que deu a vida a sua pequena Eden, que fará um ano em outubro. “É realmente um bebê online”, brincou.

Ela conta que sua família aceitou com muita alegria a sua filha e que todos concordam que foi uma “decisão brilhante”. O doador também está satisfeito, e comentou, de forma anônima, que faria de novo e gostará de conhecer a “benfeitora de DNA” quando a criança for maior de idade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos