British Airways libera maquiagem e acessórios para toda tripulação

A companhia aérea British Airways decidiu flexibilizar seu código de vestimenta para torná-lo mais inclusivo. Todos os membros da tripulação poderão usar maquiagem, esmalte, ou coque, por exemplo, independentemente do gênero, embora não vá tão longe quanto sua compatriota Virgin Atlantic, que permite que os homens usem saia.

"Trabalhamos com nossos funcionários para atualizar as diretrizes" sobre vestimenta, desde o uso de barba de três dias até os acessórios e maquiagem permitidos, disse um porta-voz da empresa em um breve comunicado divulgado nesta sexta-feira (11).

"Estamos orgulhosos de todos os nossos colaboradores na British Airways e estamos comprometidos com um ambiente de trabalho inclusivo", acrescentou.

As novas diretrizes serão aplicadas a partir de segunda-feira (14) a todas as pessoas, "independentemente de seu gênero, ou identidade de gênero", de acordo com um guia distribuído para as tripulações e para o sindicato de tripulantes de voo Bassa.

Assim, todos os pilotos e pessoal de cabine poderão agora usar bolsa, pintar as unhas, ou usar o cabelo comprido em um coque, se assim o desejarem. Já os uniformes permanecem como estão, frisou a empresa.

Embora todos possam usar maquiagem nos olhos, por exemplo, “mantenha-o no mínimo e não vá longe demais”, avisa a British Airways em seu guia. Em relação às unhas, “sejam básicos e usem apenas uma cor de esmalte”, acrescenta.

A empresa britânica segue os passos da compatriota Virgin Atlantic, que, no final de setembro, aboliu a exigência de que seus funcionários usassem um uniforme específico de gênero, permitindo, por exemplo, que os homens usassem saias.

A companhia aérea do empresário britânico Richard Branson também introduziu "crachás de pronome" opcionais para que tanto funcionários quanto passageiros mostrem como desejam ser tratados: pronomes específicos de gênero, como "ele" e "ela", ou neutros como "elle".

A Virgin Atlantic, que quer ser “a companhia aérea mais inclusiva do céu”, já havia tornado a maquiagem opcional há alguns meses e permitido tatuagens visíveis para tripulantes e funcionários em contato com o público.

ode-acc/js/tt