Britney Spears: Justiça decide que controle de bens da cantora será dividido entre seu pai e um fundo privado

·3 minuto de leitura
Britney em palco
Britney tem as finanças e a carreira controladas pelo pai desde 2008

O pedido do pai da cantora Britney Spears para ter mais controle sobre as finanças de sua filha foi rejeitado pela Justiça americana naquinta (11/02). O pai de Britney, Jamie Spears, continuará controlando parte do patrimônio da filha, mas não tudo o que gostaria. Entre 2008 e 2019, Jamie controlou a maior parte do patrimônio de Britney.

Recentemente a cantora demonstrou o desejo de que o pai fosse removido totalmente do controle de seus bens. Nesta quinta, a Justiça manteve uma decisão anterior que tornou a Bessemer Trust (um fundo fiduciário privado que administra patrimônios de terceiros) co-responsável pela tutela dos bens da cantora, ao lado de seu pai.

A decisão significa que Jamie e a Bessemer Trust terão agora o mesmo poder para administrar as finanças de Britney. Espera-se que ele trabalhe junto ao fundo para criar um orçamento e uma proposta de investimento para o espólio da cantora.

Britney Spears ao lado do pai em foto antiga
Pai de Britney quer manter controle total sobre os bens da artista

A tutela é um arranjo legal que foi estabelecido em 2008 devido a preocupações com a saúde mental da artista.

Em novembro de 2020, a juíza Brenda Penny nomeou a Bessemer Trust como co-responsável, mas rejeitou o pedido da cantora para remover totalmente seu pai da administração de seus bens.

Jamie se opôs ao envolvimento da Bessemer, argumentando que isso reduzia o poder que ele teve por anos. A juiza Perry rejeitou sua apelação na quinta-feira. Outra audiência está marcada para 17 de março.

Fãs de Britney com placas #FreeBritney em frente ao tribunal
O movimento #FreeBritney ganhou força nas duas últimas semanas

Medo do pai

O advogado de Britney Spears, Samuel D Ingham III, já disse que a cantora tem "medo" de seu pai e não quer que ele controle suas finanças e sua carreira.

Na quinta-feira, Ingham reiterou o desejo da estrela pop, acrescentando que "não é segredo" que ela não queria que seu pai fosse responsável pela administração de seus bens, mas reconheceu que removê-lo seria um "outro problema".

O interesse pelo caso foi renovado após o recente lançamento de um documentário que aborda a briga pela tutela da cantora. Framing Britney Spears (Enquadrando Britney Spears, em tradução livre para o português) que foi produzido pelo jornal The New York Times, examinou a tutela em profundidade, bem como a forma como a cantora foi tratada pela mídia ao longo de sua carreira.

Também explorou o movimento #FreeBritney, uma campanha de alguns fãs da estrela que acreditam que sua vida e carreira estão sendo controladas contra sua vontade. Os ativistas do grupo não participaram da audiência, mas aguardaram o resultado do lado de fora do tribunal.

"Não houve muita mudança hoje... Não acho que vai haver muito progresso até que o advogado de Britney realmente entre na briga para tirá-lo (Jamie) da tutela", disse à BBC Babs Gray, apresentadora do podcast BritneyGram que estava do lado de fora do tribunal.

Ela disse que o interesse no movimento #FreeBritney estourou na semana passada por causa do documentário.

"É muito encorajador ver como todos apoiam o movimento, como estão avaliando como a Britney foi tratada no passado", disse ela. "Espero que não seja apenas fogo de palha. Espero que as pessoas continuem prestando atenção e fazendo pressão."

Britney Spears não se apresenta ao vivo há mais de dois anos. Ela afirma que não tem intenção de voltar aos palcos até que seu pai seja forçado a abrir mão do controle de sua carreira.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!