Brumadinho: Duas empresas e 16 pessoas são denunciadas por desastre

Rompimento de barragem deixou 270 mortos em 2019; Caso completa 4 anos nesta semana

Depois de quatro do rompimento da barragem em Brumadinho (MG), 16 pessoas e duas empresas foram denunciadas por crimes ambientais e homicídio qualificado. (AP Photo/Leo Correa)
Depois de quatro do rompimento da barragem em Brumadinho (MG), 16 pessoas e duas empresas foram denunciadas por crimes ambientais e homicídio qualificado. (AP Photo/Leo Correa)

- Após quatro anos, 16 pessoas e duas empresas foram denunciadas por caso de rompimento da barragem em Brumadinho;

- Desastre provocou a morte de mais de 270 pessoas, além de diversos danos ambientais;

- Até hoje, três estão desaparecidos após o acidente.

A Justiça Federal aceitou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra as empresas Vale e Tüv Süd, além de 16 pessoas físicas, pelo rompimento da barragem do Córrego do Feijão, na cidade de Brumadinho (MG). O caso ocorreu em 25 de janeiro de 2019 e deixou 270 mortos, além de três de desaparecidos. As informações são do portal G1.

As pessoas foram denunciadas por:

  • Homicídio qualificado (270 vezes);

  • crimes contra a fauna;

  • crimes contra a flora;

  • crime de poluição.

Já as empresas Vale S.A. e Tüv Süd Bureau de Projetos e Consultoria Ltda responderão por:

  • crimes contra a fauna;

  • crimes contra a flora;

  • crime de poluição.

Na ação, o MPF descarta a possibilidade de acordo com os denunciados por “tamanha gravidade, que resultaram na morte de mais de 270 pessoas”, além de incontáveis danos socioeconômicos e socioambientais “ao longo de 500 quilômetros de calha do Rio Paraopeba”.

O órgão ainda requer valor mínimo de reparação pelos danos causados.

Risco de prescrever

A ministra Rosa Weber, presidente do Superior Tribunal Federal (STF), havia determinado agilidade por parte da Justiça Federal no caso para evitar que os crimes ambientais prescrevessem, o que ocorreria nesta quarta-feira (25), após quatro anos do ocorrido.

Com a aceitação da denúncia, esse risco deixa de existir.

Confira o nomes das 16 pessoas denunciadas:

  1. FÁBIO SCHVARTSMAN (então diretor-presidente da Vale);

  2. SILMAR MAGALHÃES SILVA (Diretor da VALE);

  3. LÚCIO FLAVIO GALLON CAVALLI (Diretor da VALE);

  4. JOAQUIM PEDRO DE TOLEDO (Gerente executivo da VALE);

  5. ALEXANDRE DE PAULA CAMPANHA (Gerente executivo da VALE);

  6. RENZO ALBIERI GUIMARÃES DE CARVALHO (Gerente da VALE);

  7. MARILENE CHRISTINA OLIVEIRA LOPES DE ASSIS ARAÚJO (Gerente da VALE);

  8. CÉSAR AUGUSTO PAULINO GRANDCHAMP (Geólogo especialista da VALE);

  9. CRISTINA HELOÍZA DA SILVA MALHEIROS (Engenheira da VALE);

  10. WASHINGTON PIRETE DA SILVA (Engenheiro especialista da VALE);

  11. FELIPE FIGUEIREDO ROCHA (Engenheiro da VALE);

  12. CHRIS-PETER MEIER (Gerente da TÜV SÜD no Brasil; na Alemanha Gestor);

  13. ARSÊNIO NEGRO JUNIOR (Consultor técnico da TÜV SÜD);

  14. ANDRÉ JUM YASSUDA (Consultor técnico da TÜV SÜD);

  15. MAKOTO NAMBA (Coordenador da TÜV SÜD);

  16. MARLÍSIO OLIVEIRA CECÍLIO JÚNIOR (Especialista da TÜV SÜD).

Empresas denunciadas

  1. VALE S.A.

  2. TÜV SÜD BUREAU DE PROJETOS E CONSULTORIA LTDA.