Bruna Marquezine recebe ataques e Bianca Andrade perde seguidores após declararem voto

Bruna Marquezine e Bianca Andrade (Foto: divulgação)
Bruna Marquezine e Bianca Andrade (Foto: divulgação)

O primeiro turno da eleição presidencial 2022 foi um dos mais acirrados da história do Brasil e as redes sociais refletem bem isso. Que o digam Bruna Marquezine e Bianca Andrade, que têm usado a visibilidade que conquistaram para apoiar a candidatura de Luiz Inácio da Silva (PT) e, desde então, encaram a reação dos eleitores de Jair Bolsonaro (PL), atual presidente do país.

Bianca, por exemplo, voltou a ter 17.9 milhões de seguidores no Instagram (-100 mil) após um unfollow em massa. "Podem ir! Bom que eu faço festa de 18 milhões de novo, mas dessa vez com pessoas empáticas e de qualidade, que defendem as mesmas causas que eu", comentou a empresária pelo Stories.

Pouco antes, no Twitter, Bruna expôs um dos inúmeros ataques que está sofrendo. "Promete que, se o Lula ganhar, você vai se matar. Aí eu voto [nele]", escreveu um internauta, que ainda fez uma montagem da atriz segurando uma arma. "Olha que coisa linda, gente. E viva a humanidade, a empatia, a bondade e o respeito", devolveu ela.

E não para por aí, viu? João Figueiredo, cantor e marido de Sasha Meneghel, e os humoristas Carlinhos Maia e Whindersson Nunes também usaram as redes sociais para contar que estão passando por uma situação bem semelhante: