Bruno Covas (PSDB) é reeleito prefeito de São Paulo

João Conrado Kneipp
·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - NOVEMBER 29: Bruno Covas, candidate for mayor of the city of Sao Paulo for the Brazilian Social Democracy Party (PSDB) wearing a protective mask gestures before voting during the municipal elections day on November 29, 2020 in Sao Paulo, Brazil. The city of Sao Paulo goes through a second round of municipal elections for Mayor in which Guilherme Boulos of the Socialism and Freedom Party (PSOL) faces Bruno Covas, current mayor of the city for the Brazilian Social Democracy Party (PSDB). (Photo by Miguel Schincariol/Getty Images)
Bruno Covas (PSDB) foi reeleito prefeito de São Paulo. (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)

O atual prefeito Bruno Covas (PSDB) foi reeleito à Prefeitura de São Paulo. O anúncio da vitória foi feito por volta das 18h45, de acordo com a apuração do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Com 88,54% das urnas apuradas, Covas tem 59,77% dos votos.

Covas derrotou seu adversário em segundo turno, Guilherme Boulos (PSOL), e seguirá no comando da capital paulista, herdada por ele em janeiro de 2018 após João Doria (PSDB) — de quem era vice nas eleições de 2016 — deixar o cargo para assumir o governo estadual.

Antes mesmo do fim da apuração, Boulos telefonou para Covas, reconheceu a derrota e o parabenizou pela reeleição.

O vice-prefeito será Ricardo Nunes, que fez poucas aparições durante a campanha. Vereador pelo MDB, Nunes possui suspeitas que pesam contra ele como suas relações com as creches conveniadas e o registro de violência doméstica feito em 2011 pela esposa de Nunes

Durante a votação neste domingo (29), Covas prometeu que vai governar durante os quatros anos de mandato. “Quero ser reeleito para entregar o cargo no dia 1° de janeiro de 2025” disse, ao votar acompanhado de Doria e correligionários do PSDB.

Leia também

Com a reeleição, o tucano confirma sua vitória em primeiro turno, quando obteve 32,85% dos votos válidos, frente aos 20,24% de Boulos.

As últimas pesquisas Ibope e Datafolha, divulgadas no sábado (28), às vésperas do segundo turno, projetavam uma vitória de Covas. No Ibope, o tucano aparecia com 57% dos votos contra 43% do psolista, enquanto no Datafolha a vantagem era ligeiramente menor: 55% contra 45%.

Covas, de 40 anos, tem longo histórico político, influenciado pelo avô, o ex-governador de São Paulo Mário Covas. Foi deputado estadual, federal e secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo.

Começou sua carreira política em 2004, quando se candidatou a vice-prefeito de Santos na chapa de Raul Christiano pelo PSDB. Nos anos de 2005 e 2006, foi assessor da liderança dos Governos de Geraldo Alckmin e Cláudio Lembo, na Assembleia Legislativa.

A atuação do governo municipal diante da pandemia do novo coronavírus foi um dos divisores da gestão do neto de Mário Covas.

Uma das cidades mais atingidas do País, São Paulo passou por um longo lockdown, e, quando o Estado começou a flexibilizar o isolamento, Bruno não seguiu a recomendação do governador João Dória e manteve, por exemplo, escolas fechadas, dividindo a opinião pública.

Mas esse não foi o único desafio desse santista de 40 anos, formado em Direito e Economia, já que, diante de problemas de saúde, acabou se mudando para a prefeitura para conseguir administrar a cidade. Além de ser uma das vítimas da covid-19, também foi tratado de um tumor no trato digestivo.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.