Bruno e Dom: 2º homem é preso suspeito no desaparecimento na Amazônia

Dom Phillips e Bruno Pereira estão desaparecidos desde o dia 5 de junho (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Dom Phillips e Bruno Pereira estão desaparecidos desde o dia 5 de junho (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Oseney da Costa de Oliveira, de 41 anos, conhecido como "Dos Santos", foi preso temporariamente nesta terça-feira (14), suspeito de participação no desaparecimento do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips. A informação é do portal g1.

Segundo a Polícia Federal, Oseney é suspeito de participar do desaparecimento com Amarildo da Costa Oliveira, também conhecido como “Pelado” —ele está preso no município de Atalaia do Norte, no Amazonas, mas nega envolvimento no caso.

Na segunda (13), a família de Phillips, que vive no Reino Unido, foi contactada por Roberto Doring, deputado-chefe da missão brasileira na Embaixada em Londres. Eles foram informados sobre dois corpos encontrados na Amazônia, mas que ainda não tinham passado por perícia. A esposa de Dom, Alessandra Sampaio, também foi informada sobre os corpos. Mais tarde, organizações indígenas e a Polícia Federal desmentiram a informação.

Hoje, a Embaixada do Brasil no Reino Unido pediu desculpas às famílias do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira pelo erro. “Estamos profundamente sentidos que a Embaixada tenha passado uma informação à família ontem que não se provou correta”, disseram as autoridades.

Depoimento de esposa de suspeito nº1

A esposa de "Pelado" foi ouvida pela Polícia Civil, informou a Rede Amazônica, filiada da TV Globo no Amazonas. A mulher, cujo primeiro nome é Josenete, prestou depoimento na última sexta (10) em companhia de um advogado.

Ela preferiu não falar sobre a prisão do marido nem sobre o caso dos desaparecidos. Ao todo, nove pessoas foram ouvidas pela polícia até o momento.

Entenda o caso

Phillips e Pereira estavam desaparecidos desde o domingo (5), quando foram vistos pela última vez navegando pela Terra Indígena Vale Javari.

No local, eles conversaram com a esposa de um líder comunitário apelidado de Churrasco. Em seguida, partiram rumo a Atalaia do Norte, viagem que costuma levar duas horas, mas não chegaram ao destino.

Eles viajavam com uma embarcação nova, de 40 cavalos e 70 litros de gasolina, o suficiente para a viagem.

A área onde eles desapareceram é alvo constante de conflitos relacionados a tráfico de drogas, roubo de madeira e garimpo ilegal.

A União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) deu início às buscas no domingo (5), quando os dois não chegaram ao destino final em Atalaia do Norte. No sábado (6), a organização comunicou as autoridades sobre o sumiço.

Ainda segundo a Univaja, tanto Phillips quanto Pereira eram alvos constantes de ameaças de madeireiros, garimpeiros e pescadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos