Bruno Luperi celebra sucesso do remake de ''Pantanal'': ''Não estraguei''

Bruno Luperi é autor do remake de
Bruno Luperi é autor do remake de "Pantanal" (FOTO: Globo/Maurício Fildago)

Bruno Luperi, 34, tinha uma grande missão com o remake de "Pantanal": atualizar a trama de seu avô, Benedito Ruy Barbosa, 91, para 2022. A novela tem dado certo, com bons números de audiência para a Globo e ampla repercussão nas redes sociais, fato que foi celebrado pelo autor.

Entretanto, não foi uma tarefa fácil seguir os caminhos do avô, afinal, ele era publicitário antes mesmo de ser escritor. "É uma transição difícil, com alguns medos. Para quem tem alguém com a relevância dele, é muito difícil sentar nessa cadeira. Quando 'Pantanal' estreou e foi bem, falei: 'Ainda bem que não estraguei a novela'. Foi um alívio", declarou ele, em entrevista ao jornal O Globo.

Benedito, inclusive, está acompanhando uma trama pela primeira vez, sem o olhar profissional. "Está gostando. Mas essa falta de controle é uma sensação nova para ele. Pelas nossas conversas, acho que ele viveu muitas angústias", contou o novelista. Foi o próprio veterano que escolheu o neto para dar um tom contemporâneo à sua história.

Por isso, Bruno chegou a consultar o avô em alguns momentos, tendo algumas divergências, como a escolha da atriz para interpretar Juma. Benedito queria uma artista mais velha, que já fosse conhecida pelo público. Luperi acreditava que isso não combinaria com a personagem. "[Eu dizia] é uma onça, vive no meio do Pantanal, duas esquinas depois do fim do mundo. Não pode ser um rosto muito grande. Ela é uma menina na flor da idade'. Eram convicções que ele tinha com algumas pessoas, eu com outras."

Além disso, ele afirmou que tem seguido o texto original da trama de 1990, apenas adaptando para o contexto atual. Como é o caso de Maria Bruaca. "Há um olhar mais sensível para o papel da mulher, sobre o que é o machismo, uma relação tóxica. A sociedade está muito mais atenta para as nuances. A novela não tem um caráter moralizador, mas tem que apresentar a realidade.”

Mas não dá para mudar muito. Tanto que o autor lidou com diversos comentários dos telespectadores sobre a morte de Madeleine (Karine Teles). "O pessoal me xingou, me culpou, mas a novela foi concebida assim. [...] Mas alguns eventos têm que acontecer, talvez não da forma como foram concebidos", justificou, ressaltando que não vai dar spoilers sobre o que está por vir nos próximos capítulos.

O remake de "Pantanal" não é a primeira novela de Bruno. Em 2016, ele estreou como um dos autores de "Velho Chico", em que trabalhou com a mãe, Edmara Barbosa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos