Brusque acusa dirigente do Vila Nova de racismo na Série C; atleta vai à delegacia

Marcello Neves
·1 minuto de leitura

Mais uma acusação de racismo no futebol. Desta vez, na Série C do Campeonato Brasileiro. Em Goiânia, o Brusque venceu o Vila Nova por 3 a 0, mas a partida ficou marcada pelo fato de o clube catarinense acusar um dirigente da equipe goiana de ter chamado o atacante Jefferson Renan de "macaco".

Pouco depois dos 25 minutos do segundo tempo, o Brusque foi às redes sociais e ironizou a situação chamando de "caso isolado". O nome do dirigente não foi divulgado. Segundo o clube, um boletim de ocorrência será registrado ainda nesta noite em uma delegacia de Polícia Civil de Goiânia.

"Caso isolado! Um dirigente do Vila Nova chamou o atleta Jefferson Renan, de "macaco", se referindo a cor do atleta.", escreveu o Brusque.

À Rádio Sagres, de Goiânia, o vice-presidente do Brusque, Carlos Bento, explicou o caso.

“Nossa assessora de imprensa estava do lado de cá aqui, fazendo o trabalho dela, e ela ouviu um senhor calça preta chamando nosso atacante, Jefferson Renan, ‘levanta aí, seu macaco’. Isso aí hoje no futebol não cabe mais”, disse.

Jefferson Renan seguirá para a Delegacia em Goiânia após a saída do estádio para fazer denúncia de injúria racial contra o dirigente.

O Brusque venceu o Vila Nova pore 3 a 0, com dois gols de Thiago Alagoano e um de Marco Antonio. Com isso, chega a seis pontos e dorme na liderança do Grupo C. O Vila Nova estaciona nos quatro pontos e cai para a última posição.

O Tigre volta a campo no próximo sábado (9), novamente no OBA, contra o Santa Cruz. Já a equipe catarinense só atua na outra segunda-feira (11), quando recebe o Ituano no estádio Augusto Bauer, em Santa Catarina.