Bruxa Renata Vázquez dá dicas de magias para serem feitas em tempos conturbados

Sempre atenta aos sinais, a escritora e bruxa carioca Renata Vázquez sugere magias para períodos conturbados e carregados. Adepta do paganismo moderno, Renata, desde a infância, é envolvida com assuntos místicos e canalizou o lado sensitivo para a escrita. Para proteção espiritual, ela indica sal grosso. “Ou qualquer sal. Coloque um punhado atrás da porta de entrada da casa. Ou em um copo pequeno com água no local onde dorme. É bom todo dia renovar esse copo, sempre jogando fora a água e o sal na privada depois de 24 horas”, ensina. Para a saúde, um chá com água, alecrim e limão. "É reenergizante, um antibiótico natural", garante.

Renata prevê um futuro menos tóxico e mais inclusivo para 2023. "A previsão para esse momento transitório no Brasil é de que o feminino volte com força total a ter seu lugar de fala. Qualquer velha forma que sirva estritamente ao machismo engessado será pouco a pouco corroída", diz Renata, que lança no começo de dezembro seu quinto livro, "A Bruxa de Alhambra" (Ed. Atlântico). "Outra magia que eu recomento e que está presente no livro é a que tem por base a artemísia, erva feminina que ajuda a clarear a visão e revelar o que está oculto. A artemísia pode ser fervida e consagrada sob a lua para um chá. É melhor se tomada antes de dormir, quando é o momento de pedir para que a verdade seja revelada", orienta.

No novo livro, "A Bruxa de Alhambra", Renata traz uma protagonista que se passa por moura para fugir da inquisição. "O palco é o palácio da Alhambra, em Granada, quando temos o último ano do reinado mouro em 1491, final da reconquista espanhola. Feimi, a bruxa em questão, apaixona-se pelo braço direito da rainha Isabel, a católica. O eixo em questão é a alquimia sexual, porque ela é uma maga iniciadora da magia sexual", conta.