CORREÇÃO-BTG/FSB mostra Lula com 42% e Bolsonaro com 34% no 1º turno

Mulher passa por camelô vendendo toalhas de Lula e Bolsonaro em Brasília

(Corrige percentual de intenção de voto em Ciro Gomes no 3º parágrafo)

SÃO PAULO (Reuters) - Pesquisa BTG/FSB divulgada nesta segunda-feira mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantendo-se à frente da disputa pela Presidência da República, com 42% das intenções de voto, e o atual presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL), seguindo na vice-liderança com 34%.

O petista oscilou 1 ponto percentual para baixo em relação ao levantamento divulgado há uma semana, enquanto o atual presidente variou 2 pontos percentuais para baixo. Ambas as movimentações aconteceram dentro da margem de erro do levantamento, que é de 2 pontos percentuais.

Ainda de acordo com a sondagem do instituto FSB Pesquisa, contratada pelo banco BTG Pactual, Ciro Gomes (PDT) aparece em terceiro com 8%, ante 9% há uma semana, enquanto Simone Tebet (MDB) ficou com 6%, ante 4% na semana passada. A soma dos demais candidatos chegou a 3%, ante 2% na pesquisa anterior, brancos, nulos e nenhum somaram 4%, mesmo patamar de uma semana atrás, e indecisos são 3%, mesmo percentual do levantamento anterior.

A pesquisa também apontou estabilidade no cenário de um segundo turno entre Lula e Bolsonaro, com ambos oscilando 1 ponto para cima. O petista aparece com 53%, ante 52% há uma semana, enquanto o postulante à reeleição soma 40%, ante 39%.

Bolsonaro também se manteve com o maior percentual de rejeição, apontou a pesquisa, com 55% afirmando que não votariam no presidente de jeito nenhum, mesmo patamar da pesquisa de uma semana atrás. Em seguida vem Ciro, com 49% de rejeição, ante 46%; Lula, com 46% descartando a hipótese de voto no petista, ante 45%, e Tebet, com 36% de rejeição, ante 30%.

A pesquisa indicou também que 46% dos entrevistados avaliam o governo Bolsonaro como ruim ou péssimo, ante 45% há uma semana, ao passo que 33% o enxergam como ótimo ou bom, ante 34%, e 19% veem a gestão como regular, contra 20% na semana passada.

Ainda, 57% desaprovam a forma de Bolsonaro governar, contra 55%, ao passo que 38% a aprovam, ante 40%, e 3% nem aprova, nem desaprova, mesmo patamar da pesquisa anterior.

O FSB Pesquisa ouviu 2 mil eleitores por telefone entre os dias 2 e 4 de setembro.

(Reportagem de Eduardo Simões)