Bukele convoca embaixadores em El Salvador para reclamar de críticas ao país

Carlos Mario MARQUEZ
·2 minuto de leitura
Foto divulgada pelo governo mostra o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, durante reunião com embaixadores no Palácio Nacional en San Salvador

O presidente Nayib Bukele convocou os embaixadores credenciados em seu país para reclamar das críticas internacionais a El Salvador, depois que o Congresso de maioria governista destituiu juízes da Suprema Corte e o procurador-geral.

"Pareceu algo muito estranho que houvesse condenações sobre o que aconteceu no sábado (...) não esperávamos em nenhum momento uma condenação internacional", disse Bukele durante encontro com os representantes de missões diplomáticas, transmitido na terça-feira em rede nacional, mas que aconteceu na segunda-feira em caráter privado, de acordo com alguns participantes.

"Estão informando de maneira errada em seus países", afirmou.

Bukele reiterou que todas as decisões adotadas pelo Congresso, agora com maioria de seus aliados aliados, foram constitucionais e rebateu as críticas sobre violação do Estado de direito, ou falta de separação dos poderes.

"Temos relações de longa data e algumas condenações nos surpreendem, porque não há nada a condenar (...) Onde está a violação aqui, como podem condenar algo por cumprir a Constituição?", perguntou aos diplomatas.

Para Bukele, os relatos internacionais sobre El Salvador "estão carregados de lado". Ele questionou os diplomatas por supostamente darem mais espaço às versões da oposição.

O encontro, segundo o embaixador do Chile em San Salvador, Renato Sepúlveda, aconteceu na segunda-feira e foi divulgado sem o consentimento dos participantes.

"Lamento informar que a transmissão em rede nacional do presidente Bukele de uma reunião que aconteceu no dia de ontem (segunda-feira) não é compatível com os acordos prévios de que era sem a imprensa e privada", escreveu no Twitter.

"Obrigado ao presidente Bukele por exibir em rede nacional uma reunião privada. O próximo 9 de maio é o dia da Europa e temos um excelente programa no Canal 33 TV (emissora salvadorenha). Exijo rede nacional", ironizou o embaixador da União Europeia, Andreu Bassols.

O encontro não teve a presença do encarregado de negócios da embaixada dos Estados Unidos em El Salvador, Brendan O'Brien, fato ressaltado por Bukele.

O presidente recordou que a nova Assembleia, na qual seu partido Novas Ideias (NI) e seus aliados têm 61 das 84 cadeiras, "está fazendo o que prometeu e o povo está contente". Várias organizações da sociedade civil, no entanto, criticaram as destituições.

Bukele defendeu a decisão do Congresso de destituir os magistrados da Câmara Constitucional, acusados de adotar decisões "arbitrárias", e o procurador-geral, por estar vinculado a um partido político opositor.

O governante destacou que ter maioria no Congresso permite modificar as instituições.

cmm/mav/llu/zm/fp/tt