Autoridades sírias conseguem acordo para evacuar jihadistas do sul de Damasco

Cairo, 29 abr (EFE).- As autoridades sírias alcançaram um acordo para evacuar combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) do campo de refugiados palestinos de Al Yarmouk, no sul de Damasco, informou neste domingo a televisão estatal síria.

Segundo a emissora, os "terroristas" sairão para a província de Idlib, no noroeste da Síria, e o acordo será aplicado a partir da madrugada de segunda-feira, 30 de abril, até o começo do mês do Ramadã, em meados de maio.

O acordo também estipula a saída de cerca de 1.500 pessoas das localidades de Fua e Kefraya, no norte da Síria e assediadas há muito tempo por facções armadas, como a Organização de Libertação do Levante (a aliança da ex-filial síria da Al Qaeda) e o Movimento Islâmico dos Livres de Sham.

Também serão libertados os "sequestrados" da cidade de Ishtabraq, na província de Idlib, entre eles 85 crianças, mulheres e idosos, segundo a agência oficial de notícias síria, "Sana".

O acordo chega depois de as tropas sírias lançarem no último dia 19 uma ofensiva contra as partes em poder do EI em Al Yarmouk e seus arredores, onde também há presença da Organização de Libertação do Levante.

A campanha inclui os distritos adjacentes ao campo de refugiados, Al Tadamun, Al Hayar al Asuad e Al Qadam, e em todas estas áreas as forças governamentais realizaram consideráveis avanços nos últimos dias.

Além disso, o exército lançou ataque aéreo e de artilharia contra as áreas controladas pelos jihadistas, e pelo menos 147 pessoas morreram nos últimos nove dias devido à violência.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, os mortos são 79 militares e soldados leais ao governo sírio, além de 68 terroristas do EI. EFE