Busca por desculpas para faltar o trabalho disparam no Google em 2022

Os americanos estão vasculhando a internet em busca de desculpas para faltar ao trabalho, assim que são convocados por seus chefes para voltar presencialmente a seus postos. O número total de buscas no Google por razões plausíveis para não comparecer à empresa disparou nos últimos dois anos, chegando a dois milhões em 2022, de acordo com uma análise do Frank Recruitment Group, uma empresa global de empregos. Em 2018, esse número era de pouco mais de 300 mil.

Conteúdo ofensivo: Dancinha do TikTok pode acabar em demissão por justa causa. Entenda em que casos isso pode acontecer

Paralisações: Rodovias têm 129 pontos com 216 quilômetros de filas, diz associação

A empresa analisou o tráfego considerando os dez dos termos de pesquisa mais populares, incluindo várias variações de "desculpas realistas para faltar ao trabalho". Sabe quais foram alguns dos principais resultados? Doenças, emergências familiares ou domésticas, consulta médica e problemas com o carro.

Esse aumento na busca ocorre quando os executivos expressam preocupação com demissões silenciosas e produtividade vacilante, e à medida que as demandas de retorno ao escritório aumentam com a redução dos casos de Covid-19.

Trabalhadores de todos os setores se opuseram às convocações das empresas, especialmente nas grandes cidades com deslocamentos onerosos. Uma análise recente do Federal Reserve Bank de Nova York apontou que os americanos economizam coletivamente 60 milhões de horas de deslocamento todos os dias trabalhando em casa.

Celular: Poucos carregadores, vários tipos de conexão e polêmicas sem fim

Retomar a rotina de volta ao escritório significa, para muitos, menos horas de sono e tempo para equilibrar o resto das demandas do dia a dia.

"Ver os volumes de pesquisa saltarem tão drasticamente de 2021 a 2022 é definitivamente interessante. Parece coincidir com o início do retorno às empresas, o que nos diz que essa não foi a transição mais fácil para todos", disse Rowan O’Grady, presidente das Américas do Frank Recruitment Group, no relatório.

Os funcionários estão tentando gerenciar os estressores que vêm com o retorno ao escritório em parte tirando mais tempo livre, disse Shané Teran, estrategista de desenvolvimento organizacional e presidente da SP Consulting.

À medida que as empresas se preparam para uma desaceleração econômica, muitas reduziram ou congelaram as contratações, deixando a equipe fazer mais com menos pessoal.

Orçamento: ajuste nas contas de 2023 será de ao menos R$ 100 bi, diz relator

Teran disse, no entanto, que para reduzir o absenteísmo é fundamental que os empregadores encontrem um equilíbrio entre pressionar pela produtividade e apoiar o bem-estar dos funcionários.

Na semana passada, o Surgeon General dos EUA divulgou um relatório pedindo aos empregadores que promovam a saúde dos empregados.

Empresas de todo o mundo estão experimentando semanas de trabalho de quatro dias para lidar com essas preocupações. A produtividade permaneceu estável ou melhorou em quase todas as organizações em um teste realizado no Reino Unido, enquanto outro estudo descobriu que os funcionários ganham cerca de uma hora de sono todas as noites com uma programação condensada, provavelmente porque seu tempo é menos limitado em geral.