Busca por testes de Covid explode no Rio

Em meio à alta de casos de Covid-19, o município do Rio de Janeiro voltou a exibir longas filas para testagem nos postos de saúde. Na comparação com o mês passado, junho já registrou um aumento de 165,47% na quantidade de exames realizados. Até o momento, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram feitos 258.729 testes de antígenos.

— Durante o inverno, temos um aumento de casos de síndrome gripal devido a diversos fatores. Além disso, com a circulação do coronavírus e suas novas linhagens, as pessoas tendem a procurar mais os postos. A secretaria tem estoque em quantidade suficiente para atender às necessidades da população carioca —diz o secretário municipal de saúde, Rodrigo Prado.

No estado, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a média é de 11.500 testes por dia, com positividade de 30%. Só nas últimas 24h foram registrados 8.220 novos casos de Covid-19 — 4.837 deles no município. A alta no número de infecções não foi, no entanto, acompanhada por aumento nos casos graves e óbitos. Atualmente, na cidade do Rio, 156 pessoas estão internadas e 38 aguardam na fila por leitos — 80% dos pacientes estão com o esquema vacinal incompleto.

As três doses da vacina ajudaram Tatiana Abreu, de 23 anos, a se proteger da forma grave da doença. A jovem fez a testagem no Centro Municipal de Saúde Heitor Beltrão, na Tijuca, Zona Norte do Rio, depois de, no último domingo (19), começar a sentir sintomas como cansaço, calafrios e tosse. Ao realizar o exame, ontem, teve diagnóstico positivo pela primeira vez.

— O posto estava muito cheio, mas a fila anda rápido. No início do mês fiz outro teste no mesmo local, porque estive em uma reunião de trabalho e vários colegas positivaram após o encontro. Eu tenho uma avó de 91 anos, então sempre busco me testar — conta Tatiana

AUTOTESTES

Com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, em janeiro deste ano, autotestes da Covid-19 começaram a ser comercializados nas farmácias do país e possibilitaram mais uma opção de exame. A média de preço do produto vai de R$ 39,90 a R$ 69,90. No município do Rio, a procura pelos autotestes também aumentou nos últimos meses. Em abril, farmácias venderam 26 mil unidades e em maio esse número dobrou.

No início de junho, Pedro Bueno, de 23 anos, começou a sentir os sintomas da Covid e optou pelo autoteste. Ele também positivou para a doença pela primeira vez.

— Escolhi fazer o autoteste pela praticidade mesmo. Quando comecei a ter os sintomas, que iniciaram com uma pequena tosse e depois evoluíram para febre, eu já imaginei que pudesse estar com Covid. Fiz o autoteste que pedi na farmácia e deu positivo. Essa foi a primeira vez que tive a doença. Já tomei as três doses da vacina, então meus sintomas sumiram rapidamente. Em sete dias de quarentena eu já estava 100%. No oitavo dia, ainda fiz um outro autoteste e esse sim deu negativo — explica Pedro.

* Estagiária sob supervisão de Leila Youssef

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos