Busto de Rui Barbosa e tapete da Princesa Isabel: terroristas destroem patrimônio histórico na invasão ao STF

O rastro de destruição deixado por terroristas que invadiram as sedes dos três Poderes inclui patrimônios históricos do país, que dificilmente poderão ser recuperados. No prédio do Supremo Tribunal Federal, por exemplo, os danos incluem o chamado "Hall dos Bustos", onde havia bustos de figuras importantes da República, como o de Rui Barbosa, responsável pela criação da Corte no modelo atual, em 1890, e de Joaquim Nabuco, abolicionista. Imagens mostram as obras de arte aos pedaços. Entre itens de valor histórico danificados pelos vândalos também está um tapete que, segundo informações do Supremo, pertenceu à Princesa Isabel, filha do imperador D. Pedro II e responsável por assinar a Lei Áurea, que acabou com a escravidão no páis. No STF, segundo apuração do GLOBO, a avaliação é que o dano ao patrimônio histórico é irreparável. Segundo relatos feitos à reportagem, os vândalos retiraram cadeiras em que os onze ministros sentam durante os julgamentos. Um vídeo mostra terroristas carregando a parte do armário usado pelos ministros para pendurar suas togas durantes as sessões. Na imagem, é possível verificar o nome de Alexandre de Moraes. O balanço da destruição, contudo, ainda está sendo feito pela presidente do STF, ministra Rosa Weber. De acordo com relatos feitos ao GLOBO, o prédio principal do STF está "completamente destruído". Ainda segundo relatos feitos à reportagem, não há previsão de que haverá uma reunião entre os ministros. A maioria dos integrantes da Corte está fora de Brasília. Todos os ministros, contudo, estão em contato.

Em uma nota divulgada no início da noite, Rosa Weber afirmou que o edifício-sede do Supremo , "patrimônio histórico dos brasileiros e da humanidade, foi severamente destruído por criminosos, vândalos e antidemocratas". Segundo informações da assessoria de imprensa do STF, o edifício passará por uma perícia e ficará fechado esta segunda-feira.