ButanVac pode produzir dobro de anticorpos que outras vacinas, afirma diretor do Butantan

Sao Paulo Governor Joao Doria shows the ButanVac vaccine candidate against Covid-19, at the Butantan Institute, in Sao Paulo, Brazil, on March 26, 2021. - The Brazilian ButanVac vaccine will ask for authorization from the National Health Surveillance Agency (Anvisa) to start clinical trials of phases 1 and 2 in humans, involving 1,8 thousand volunteers. Research started on March 26, 2020 and the production goal is to start on May and to deliver 40 million doses starting on July, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images
  • Dados são de um estudo pré-clínico da vacina

  • Dimas Covas também comentou o calendário de imunização de SP

  • Instituto também se prepara para a aplicação de doses de reforço

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que há indícios de que a ButanVac, vacina que o instituto está desenvolvendo contra a Covid-19, produza o dobro de anticorpos que outros imunizantes já disponíveis no mundo.

“Estamos perto de estudos clínicos e temos esperança grande que essa vacina nos dê independência. Pelos dados pré-clínicos, ela terá eficácia maior que todas as outras vacinas. Do ponto de vista de produção de anticorpos ainda não temos doses definidas, [mas] nas doses regulares produz o dobro de anticorpos que produzem todas essas vacinas do mercado atualmente”, afirmou Covas em entrevista ao portal UOL nesta quinta-feira (17).

Sobre a meta do estado de São Paulo de vacinar com pelo menos uma dose toda sua população adulta até 15 de setembro, Covas afirmou que será preciso um “grande esforço logístico” para ser alcançada.

Leia também:

De acordo com ele, o calendário de imunização do estado, que foi adiantado pelo governador João Dória no último domingo, é possível, mas é preciso considerar o quantitativo enviado pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), que ele avalia não estar respondendo adequadamente. Ele afirma que para atingir esta meta, será preciso acelerar a vacinação em até três vezes.

“O PNI tem, de uma certa maneira, não respondido a esses desafios —e tem jogado para estados, que estão conduzindo seu programa estadual. Aqui em São Paulo tem seu grupo, que deve estar levando essas opções em consideração, fazendo isso em conjunto com municípios. Essas políticas têm que ser reforçadas”, avaliou.

Com base no atual cronograma, todos os adultos de São Paulo devem receber a segunda dose entre o final do ano e o início de 2022, considerando o intervalo entre doses estabelecido por cada fabricante. O diretor destaca que até o final do ano uma parte da população do estado já deve estar “totalmente coberta” por algum imunizante.

Outro tema levantado pelo diretor na entrevista é a possível necessidade da aplicação de dose de reforço. De acordo com ele, esse reforço será anual e deve ser feito no início de cada ano.

"Alguns países na Europa têm data [para a aplicação da dose de reforço] para outubro, para começar um reforço de inverno. Aqui no Brasil ainda não se iniciou essa programação, porque nem se cumpriu a primeira fase [da imunização]. Mas, obviamente, depois dela tem que se pensar na dose de reforço", disse.

E completou: "Para todas as vacinas, o que sabemos hoje é que a imunidade decai muito a partir do oitavo mês [da aplicação]. Isso serviu de base lá na Europa e também se aplica aqui. A minha previsão é que seja necessário um reforço anual, principalmente no início do ano. Aqui no Brasil não temos um inverno rigoroso, mas temos um aumento de doenças infecciosas respiratórias no outono e no inverno”.

Covas garantiu que o Instituto Butantan já está se programando para a necessidade de doses de reforço e estuda inclusive o desenvolvimento de uma vacina que tenha uma efeito imunizante duplo: contra o coronavírus e o vírus da gripe.

"É um desenvolvimento que leva em consideração a ButanVac e a vacina da gripe que o Butantan produz. As duas plataformas estão sendo munidas, estamos com desenvolvimento, prevendo uso necessário de uma vez por ano para o reforço para gripe e covid", afirma.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos