Butantan deve atrasar entrega de novo lote da Coronavac e culpa governo Bolsonaro: “Tem remado contra”

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Bolsonaro insinuou que a China pode ter criado o coronavírus (Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
Bolsonaro insinuou que a China pode ter criado o coronavírus (Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
  • Butantan deve atrasar a próxima entrega de vacinas ao governo de São Paulo

  • De acordo com Dimas Covas, a Sinovac tem dificultado a liberação dos insumos

  • O diretor considera que trata-se de uma retaliação da China pelas declarações recentes da família Bolsonaro

O Butantan realizou nesta quinta-feira pela manhã a entrega de um milhão de doses da Coronavac ao governo de São Paulo, mas já avisou que atrasará a próxima liberação de insumos. E segundo o diretor do instituto, a culpa é do governo do adiamento é do governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

"Pode faltar (insumos)? Pode faltar. E aí, nós temos que debitar isso principalmente ao nosso governo federal que tem remado contra", declarou Covas.

Leia também

O diretor explicou que a liberação de insumos para a produção da Coronavac foi adiada de segunda para quinta-feira que vem. E o volume, que seria de seis mil litros, agora será de dois mil. Ele considera que a mudança é uma decisão não da Sinovac, mas do governo chinês, talvez em retaliação às declarações recentes de Bolsonaro e sua cúpula.

"Todas as declarações neste sentido têm repercussão. Nós já tivemos um grande problema no começo do ano e estamos enfrentando de novo esse problema", afirmou.

Na última quarta-feira, Bolsonaro sugeriu que o novo coronavírus pode ter sido criado pela China em laboratório e que o país estaria se beneficiando financeiramente da pandemia.

Dimas Covas culpou o governo pelo atraso nas vacinas (Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA via AP Images)
Dimas Covas culpou o governo pelo atraso nas vacinas (Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA via AP Images)

"É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em um laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem que é uma guerra química bacteriológica e radiológica. Será que estamos enfrentando uma nova guerra? Qual país que mais cresceu seu PIB? Não vou dizer para vocês”,comentou.

Dimas Covas revelou que recebeu da embaixada chinesa a garantia de que declarações deste tipo não interferem na relação entre o Butantan e a Sinovac, mas que sentiu uma mudança no comportamento da empresa que fornece os insumos para a Coronavac.

"Embora a embaixada da China no Brasil venha dizendo que não há esse tipo de problema, mas a nossa sensação de quem está na ponta é que existe dificuldade, uma burocracia que está sendo mais lenta do que seria habitual e com autorizações muito reduzidas.”

Família Bolsonaro tem atacado a China

Esta não é a primeira vez que a família Bolsonaro faz críticas diretas à China. No ano passado, Jair questionou em diversas oportunidades a qualidade da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac.

Bolsonaro chegou a questionar a qualidade da Coronavac - Foto: Getty Images
Bolsonaro chegou a questionar a qualidade da Coronavac - Foto: Getty Images

Já seu filho Eduardo (PSL-SP) tem chamado a Covid-19 de “vírus chinês”. Além disso, o deputado acusou o governo da China de querer espionar o mundo por meio de equipamentos para rede de comunicações 5G.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos