Butantan entrega mais um milhão de doses da CoronaVac e suspende produção por falta de insumo

·2 minuto de leitura
A health worker shows a vial of the CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people on the streets in Sao Paulo, Brazil, on March 30, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
A health worker shows a vial of the CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people on the streets in Sao Paulo, Brazil, on March 30, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
  • Instituto Butantan entrega 1,1 milhão de doses da CoronaVac

  • Butantan vai suspender produção do imunizante contra a covid-19 por falta de insumos

  • 10 mil litros de IFA da SinoVac estão parados, sem autorização da China para embarcar

Nesta sexta-feira (14), o Instituto Butantan entrega mais 1,1 milhão de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês SinoVac. As doses serão direcionadas ao Ministério de Saúde.

A entrega já faz parte do segundo contrato do Instituto Butantan com o governo federal, de 54 milhões de doses que deveriam ser entregues até o dia 30 de agosto. O primeiro lote, de 46 milhões de doses, foi finalizado na última quarta-feira (12).

Leia também

No entanto, após essa entrega, o Butantan vai suspender totalmente a produção do imunizante por falta de matéria-prima. Segundo o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a SinoVac tem um lote de 10 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) reservado para mandar ao Brasil, mas aguarda liberação do governo da China. Com esse contingente, seria possível produzir 18 milhões de doses da vacina.

Como consequência da falta de vacinas, pelo menos 15 estados brasileiros suspenderam a aplicação da CoronaVac, seja da primeira ou da segunda dose.

Em abril, o Butantan parou de envazar a CoronaVac na fábrica do Brasil, mas continuou com o processo de rotulagem e controle de qualidade para entregar as doses restantes ao Ministério da Saúde.

Agora, não há mais material para cumprir nenhuma etapa da produção. A expectativa do Butantan era que pelo menos 3 mil litros de IFA fossem liberados até o próximo sábado (15). No entanto, Dimas Covas anunciou na última quarta-feira que não há mais previsão para receber a matéria prima.

“Não temos data neste momento para essa autorização. Estamos aguardando, isso pode acontecer a qualquer momento, mas por enquanto não há essa previsão", alertou o presidente do Butantan.

O governador paulista está se reunindo com o embaixador do Brasil na China para tentar acelerar o processo de autorização. O tucano acredita que o problema se deve ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que tem atacado a China constantemente. Recentemente, Bolsonaro afirmou que os chineses seriam os responsáveis por criar o novo coronavírus.

IFA para vacina da Oxford

A vacina Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz, também precisa do Insumo Farmacêutico Ativo para ser fabricada no Brasil.

Nesta sexta-feira (14), a Fiocruz anunciou que receberá um novo lote de matéria prima no dia 22 de maio e, depois, mais um carregamento para o dia 29.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos