Butantan libera mais 1,8 milhão de doses da CoronaVac

Giuliana de Toledo
·2 minuto de leitura
Foto: Edilson Dantas

O Instituto Butantan anunciou na tarde desta sexta-feira a entrega de mais 1,8 milhão de doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida em São Paulo em parceria com o laboratório chinês Sinovac. O lote, ao ser repassado ao Ministério da Saúde, será distribuído aos estados por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI).

Para o estado de São Paulo, segundo o governador João Doria (PSDB), ficarão 410 mil doses. Essa quantidade, anunciou, permitirá o começo da vacinação de idosos acima de 85 anos. Em 8 de fevereiro, será iniciada a imunização de pessoas de 90 anos ou mais. São esperados 206 mil idosos nessa faixa etária. Já no dia 15, o grupo será ampliado para aqueles com entre 85 e 89 anos.

Ao todo, contando todos os idosos do estado a partir de 85 anos, o objetivo é vacinar 515 mil pessoas. Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde, destacou que fazem parte desse grupo, pelas estatísticas, 77% dos que perdem a vida com Covid, além de serem 80% dos que ocupam as UTIs com a doença.

Até o momento, no estado, só podiam receber as vacinas os idosos que vivem em asilos. A partir de 8 de fevereiro, o critério passa a ser apenas a idade.

Doria destaca que essas novas doses permitirão também concluir a vacinação de todas as pessoas que deveriam ser atingidas na primeira fase no estado.

— Com esse novo lote, São Paulo vai conseguir imunizar especificamente o público-alvo da sua primeira fase de vacinação, trabalhadores de saúde, indígenas, quilombolas e idosos residentes e asilos — afirmou, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

O Butantan, segundo Doria, já entregou 8,7 milhões de doses de CoronaVac ao Ministério da Saúde, de um acordo de 46 milhões. Dimas Covas, diretor do instituto, anunciou que mais 900 mil devem estar disponíveis na próxima terça-feira, 2 de fevereiro, mesmo dia em que são esperados 5,4 mil litros de insumo para fazer novas vacinas.

A carga, vinda da China, deve ser desembarcada no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Essa matéria-prima renderá cerca de 8,6 milhões de doses de CoronaVac. A produção está estimada em 20 dias a partir do recebimento.

Outra expectativa para a terça é a da assinatura de contrato para estender o fornecimento de doses do Butantan ao governo federal. Covas contou ter sido avisado de que, em 2 de fevereiro, a gestão Bolsonaro comprará mais 54 milhões de doses de CoronaVac, totalizando um acordo de 100 milhões.