Butantan pedirá nova reunião com a Anvisa para tentar liberação da CoronaVac para crianças

·2 min de leitura
A healthcare worker prepares a dose of the CoronaVac COVID-19 vaccine at a drive-thru vaccination post in Brasilia on September 13, 2021. - Brazil is one of the fastest vaccinating countries on the planet, after a late and chaotic start that continues to take its toll on President Jair Bolsonaro. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
CoronaVac é aplicada no Brasil em pessoas a partir dos 18 anos (Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
  • Instituto Butantan quer nova reunião com a Anvisa para pedir autorização do uso da CoronaVac em crianças

  • Vacina está sendo usada em crianças a partir de 3 anos na China e partir dos 5 anos no Chile

  • Na primeira tentativa, Anvisa rejeitou pedido para utilização da CoronaVac em crianças

O Instituto Butantan vai pedir uma nova reunião com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para discutir a autorização do uso da CoronaVac para crianças a partir dos 3 anos. Atualmente, o imunizante só pode ser aplicado no Brasil em maiores de 18 anos. 

Segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, a vacina já se mostrou eficaz em crianças, além de segura. No Chile, a CoronaVac está sendo aplicada em crianças a partir dos 5 anos de idade, enquanto na China a vacina é usada a partir dos 3 anos. 

A vacina CoronaVac é feita de vírus inativado, plataforma comum em outros imunizantes utilizados em crianças. 

"A CoronaVac é a vacina mais segura para uso em crianças e adolescentes. Na faixa de 3 a 17 anos, é a vacina que foi mais aplicada nessa população no mundo, hoje já próximo de 70 milhões de crianças e adolescentes vacinados com essa vacina. Aqui na América do Sul, já está em uso desde setembro. Então, existe um perfil de segurança já demonstrado", afirmou Dimas Covas. 

"Esses dados têm sido oferecido quase que, online, à Anvisa a medida que são gerados. E nós solicitamos para essa semana uma nova reunião com a Anvisa para revisão de dados que já chegaram, inclusive essa semana. Estamos nesse processo e esperamos que haja um entendimento da Anvisa de que essa é uma vacina que já tem o seu perfil de segurança demonstrado, principalmente para essa população, e que possa também autorizar o seu uso", explicou. 

Rejeitada pela Anvisa

Em agosto, o Butantan pediu pela primeira vez autorização para a Anvisa para aplicar a CoronaVac em crianças, mas a medida foi rejeitada. Na ocasião, técnicos da agência alegaram que ainda faltavam dados para confirmar segurança e eficácia da aplicação das doses neste grupo. 

Pedido para uso da Pfizer

O estado de São Paulo vai pedir à Agência Nacional de Vigilância Sanitária que autorize com urgência a vacinação para crianças de 5 a 11 anos com o imunizante da Pfizer. Segundo o governador João Doria (PSDB), o pedido será feito ainda nesta quarta-feira (3). Atualmente, o Brasil está vacinando jovens a partir de 12 anos.

De acordo com a coordenadora do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula, nesta quarta ocorreu uma reunião do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). "Todos os estados estavam presentes. E é uma unanimidade a necessidade de fazer a vacinação da população de 5 a 11 anos", afirmou. Nos Estados Unidos, a aprovação já foi dada pelos órgãos responsáveis e a previsão é que a imunização comece ainda esta semana no país norte-americano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos