Butantan termina entrega de 100 milhões de doses ao Ministério da Saúde

·2 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - APRIL 23: Vails of CoronaVac vaccine are seen on the production line of CoronaVac, Sinovac Biontech's vaccine against COVID-19 at Butantan biomedical production center on April 23, 2021 in Sao Paulo, Brazil. While Butantan Institute works on developing its own vaccines, continues to produce the Chinese CoronoVac developed in partnership with the Chinese laboratory Sinovac Biontech. Brazil already announced that due to lack of vaccines, will finish inoculating high risks groups by September and not by May as it had been announced. The Butantan Institute requested authorization to the Sanitary Surveillance Agency (ANVISA) to start clinical tests with Butanvac, a new vaccine against COVID-19 100% developed in Brazil. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
Butantan tinha contrado de entrega de 100 milhões de doses ao Ministério da Saúde (Foto: Alexandre Schneider/Getty Images)
  • Butantan entregou novo lote com 5 milhões de doses da CoronaVac

  • Com isso, contrato de 100 milhões de doses com o Ministério da Saúde foi concluído

  • Até 29 de setembro, Butantan vai terminar substituição de lotes que estão em quarentena por determinação da Anvisa

O Instituto Butantan entregou hoje um lote de 5 milhões de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde. Com isso, está concluído o contrato feito com o governo federal, que previa a entrega de 100 milhões de doses da vacina, produzida em parceria com a farmacêutica chinesa, SinoVac. 

"Butantan conclui o contato com o Ministério da Saúde e entrega 100 milhões de doses da vacina do Butantan, da CoronaVac, para a imunização dos brasileiros em todo o país", celebrou Doria nesta quarta-feira (15) durante coletiva de imprensa. "E também ratificamos o que já anunciamos ontem: a substituição daquelas doses que foram colocadas em quarentena pela Anvisa." 

No total, são 8 milhões de doses da CoronaVac que estão quarentenadas e todas serão substituídas por vacinas produzidas em uma fábrica inspecionada pela Anvisa. "Assim, eliminamos um impasse para que a vacina seja coloca no braço dos brasileiros", disse Doria. 

Leia também:

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou que as doses serão substituídas na totalidade até dia 29 de setembro. Ele garantiu que as doses são seguras e eficazes, mas explicou a opção pela substituição para que as vacinas possam ser utilizadas. "E vamos aguardar a liberação desses lotes. Em algum momento a Anvisa liberará essas doses, que poderão ser usadas em outros cenários."

Segundo o tucano, quase 40% dos brasileiros foram vacinados com a CoronaVac. Esse índice é ainda mais alto entre idosos com mais de 70 anos: a cada 10 pessoas nesta faixa etária, 8 receberam a CoronaVac. 

"Vacinação com a CoronaVac reduziu em 88% mortes de pessoas com mais de 70 anos no Brasil. Nossos pais, nosso avós, nossos tios, nossos amigos, felizmente, em sua maioria, estão salvos - salvos pela vacina", alegou o tucano. 

Em defesa da CoronaVac, Dimas Covas afirmou que é a vacina mais utilizada no mundo. "Dessa vacina, já foram produzidas mais de 1,2 bilhão de doses. Isso representa um quantitativo importantíssimo no combate à pandemia", explicou. A vacina foi distribuída para mais de 50 países. "Está dando uma grande contribuição para o controle da pandemia em termos mundiais." 

"É a vacina que tem o maior número de pessoas analisadas, em termos de eficiência. E essa eficiência é elevadíssima", afirmou Covas. "Para resumir: CoronaVac é uma das melhores vacinas disponíveis no mundo, é uma vacina que está dando uma grande contribuição para o controle dessa pandemia e o Butantan e o estado de São Paulo dão a sua contribuição importantíssima nesse sentido." 

Além da CoronaVac, o Brasil também aplica doses da vacina da Pfizer, da Janssen, em dose única, e da AstraZeneca. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos