Butantan vai produzir mais 10 milhões de doses da Coronavac com a chegada de IFA da China

·3 minuto de leitura
Vials of the China Sinovac CoronaVac vaccine sit on a table during a priority vaccination program for the elderly at Bezerra de Menezes Asylum in Brasilia, Brazil, Thursday, Feb. 18, 2021. (AP Photo/Eraldo Peres)
De acordo com o governador, São Paulo espera pela chegada de mais 6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), vindos da China, no próximo dia 28 de junho (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
  • O governador de São Paulo, João Doria (PSBD), afirmou nesta quarta-feira (2) que o Instituto Butantan irá produzir mais 10 milhões de doses da Coronavac

  • De acordo com ele, São Paulo espera pela chegada de mais 6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), vindos da China, no próximo dia 28 de junho

  • A equipe do governo também anunciou o calendário completo de vacinação no estado

O governador de São Paulo, João Doria (PSBD), afirmou nesta quarta-feira (2) que o Instituto Butantan irá produzir mais 10 milhões de doses da Coronavac, imunizante contra a Covid-19 feito em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

De acordo com ele, São Paulo espera pela chegada de mais 6 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), vindos da China, no próximo dia 28 de junho.

Leia também

"São 6 mil litros de IFA suficientes para a produção de 10 milhões de doses da Coronavac. O IFA, neste volume, chegará no proximo dia 28 de junho. Com estes insumos, o Butantan vai produzir mais 10 milhões de doses da vacina, chegando a aproximadamente 60 milhões de doses", afirmou o governador durante coletiva de imprensa.

Nesta quarta-feira (2), o estado começou a vacinar pessoas de 30 a 39 anos com comorbidades e deficiência permanente (BPC). Na capital paulista, a partir da próxima segunda-feira (7), lactantes com comorbidades que tenham filho de até um ano poderão receber a vacina.

Na coletiva, a equipe do governo anunciou o calendário completo de vacinação no estado. Doria prometeu que toda a população adulta será vacinada até o fim de outubro.

Confira o calendário de vacinação contra a covid em SP:

  • 2 de junho: pessoas com comorbidades entre 30 e 39 anos e pessoas com deficiência permanente (BPC) de 30 a 39 anos

  • 7 de junho: pessoas com comorbidades entre 18 a 29 anos e pessoas com deficiência permanente (BPC) de 18 a 29 anos

  • 9 de junho: profissionais da educação de 45 e 46 anos

  • Entre 1 e 20 de julho: pessoas de 55 a 59 anos

  • Entre 21 e 31 de julho: profissionais da educação entre 18 e 44 anos

  • Entre 2 e 16 de agosto: 50 a 54 anos

  • Entre 17 e 31 de agosto: 45 a 49 anos

  • Entre 1 e 10 de setembro: 40 a 44 anos

  • Entre 11 e 20 de setembro: 35 a 39 anos

  • Entre 21 e 30 de setembro: 30 a 34 anos

  • Entre 1 e 10 de outubro: 25 a 29 anos

  • Entre 11 e 31 de outubro: 18 a 24 anos

Governo de SP divulgou todo o calendário de vacinação para maiores de 18 anos (Foto: Reprodução/Governo do Estado de SP)
Governo de SP divulgou todo o calendário de vacinação para maiores de 18 anos (Foto: Reprodução/Governo do Estado de SP)

OMS aprova uso emergencial da CoronaVac

Nesta terça-feira (1º), a Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou nesta terça-feira o uso emergencial da Coronavac.

Com a decisão da OMS, a Coronavac pode, agora, ser comprada e incorporada à Covax Facility para distribuição global. Ela também abre espaço para que os brasileiros imunizados sejam liberados a viajar para outros países adeptos do passaporte de vacinação.

Carta brasileiros em países europeus

Hoje mais cedo, Doria escreveu no Twitter que solicitou a inclusão da vacina do Butantan entre os imunizantes aceitos para viajantes brasileiros no bloco de países europeus.

"Com a aprovação da OMS da vacina Coronavac, enviei hoje pela manhã carta para a Comissão Europeia solicitando a inclusão da vacina do Butantan entre os imunizantes aceitos para entrada de viajantes brasileiros no bloco de países europeus", disse Doria.

Na coletiva de imprensa desa quarta, a secretária do Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, afirmou que com a aprovação da OMS, há um indicativo de que a Coronavac poderá ser autorizada com mais facilidade.

"Com a aprovação da OMS, há um indicativo de que se a vacina pode ser comercializada na região ela pode receber a autorização. Mas precisamos que os países da União Europeia aprovem. Por isso que a carta é tão importante", disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos