Buttigieg se torna o primeiro membro abertamente gay de um gabinete dos EUA

O ex-candidato presidencial democrata Pete Buttigieg fala ao lado de Joe Biden após ser nomeado secretário de Transporte durante uma coletiva de imprensa em Wilmington, Delaware, em 16 de dezembro de 2020

O indicado do presidente americano Joe Biden para comandar o Departamento do Transporte foi confirmado pelo Senado nesta terça-feira (2). Assim, Pete Buttigieg se tornou o primeiro integrante assumidamente gay de um gabinete da Casa Branca.

Buttigieg, uma estrela em ascensão nas primárias presidenciais democratas de 2020, antes de desistir da disputa e apoiar Biden, recebeu um forte apoio bipartidário por 86 votos a 13.

O ex-prefeito de South Bend, no estado de Indiana, e veterano da Marinha dos Estados Unidos, que serviu no Afeganistão como oficial de inteligência militar, passa a liderar essa agência federal em expansão com apenas 39 anos de idade.

"Ele está empenhado em trabalhar com representantes de todo o espectro político para melhorar o transporte rodoviário e ferroviário e muito mais, em comunidades rurais, centros urbanos e outros lugares", disse o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, antes da votação.

Biden sinalizou sua intenção de lançar um amplo pacote de infraestrutura e Buttigieg, que como Biden concorreu como um democrata moderado, pode ser fundamental para ganhar o apoio de ambos os partidos.

O novo secretário de Transporte faz parte do que Biden descreveu como o gabinete mais diverso da história dos EUA.

A votação de confirmação de Alejandro Mayorkas como secretário do Departamento de Segurança Interna (DHS) está marcada para o final desta terça-feira.

Mayorkas, um advogado nascido em Cuba em 1959 que chegou aos Estados Unidos muito jovem com sua família, seria o primeiro latino e o primeiro imigrante a chefiar o DHS.

mlm/ad/mps/ic/mvv