Câmara dos Lordes impõe nova derrota ao governo de May

A primeira-ministra Theresa May na Câmara dos Comuns, em Londres, em 13 de junho de 2018

Os Lordes britânicos impuseram uma nova derrota ao governo da primeira-ministra Theresa May nesta segunda-feira, quando aprovaram com ampla maioria uma emenda que dá ao Parlamento o direito de veto sobre o acordo final do Brexit, atualmente sendo negociado por Londres e Bruxelas.

A emenda foi aprovada por 354 votos a 235, contra a vontade do governo. O texto será submetido novamente a votação na quarta-feira entre os integrantes da Câmara dos Comuns.

A priori, a sessão desta segunda-feira foi prevista como um duro teste para o partido no poder, uma vez que a Câmara dos Lordes, que examina a lei da Brexit, é dominada por partidários de manter o Reino Unido o mais próximo possível da União Europeia.

Na semana passada, May venceu por um triz uma votação na Câmara dos Comuns e conseguiu que os deputados revogassem uma alteração dos Lordes, que defendia que o Reino Unido deveria se alinhar com a união aduaneira europeia.

Além disso, May convenceu os deputados pró-europeus conservadores a recusarem outra alteração que teria autorizado o Parlamento a votar sobre o acordo final com Bruxelas, e, assim, impedir uma eventual saída sem acordo.

Esses deputados rebeldes mais tarde acusaram May de ter quebrado a promessa que fez em troca de seu apoio, e era muito provável que os Lordes reintroduzissem a emenda nesta segunda-feira, como acabou acontecendo.

A primeira-ministra terá novamente que apagar os incêndios neste pingue-pongue parlamentar, no qual o controle das negociações com Bruxelas está em jogo.

"O Parlamento não pode atar as mãos do governo nas negociações", disse May à BBC.

A cúpula dos líderes europeus de 28 de junho está se aproximando e May não quer chegar a Bruxelas enfraquecida por uma derrota no Parlamento.

A lei de Brexit dará fim formalmente à adesão do Reino Unido à UE e incorporará na legislação britânica 40 anos de leis europeias.