Câmara de Recife nega honraria à primeira-dama Michelle Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Os vereadores da Câmara Municipal de Recife negaram, na sessão plenária desta terça-feira, a concessão da medalha de mérito Olegária Mariano à primeira-dama, Michelle Bolsonaro, por 16 votos contrários a nove favoráveis. A honraria tinha sido proposta pela vereadora Michele Collins (PP), também autora do projeto que criou a medalha. No mesmo dia, foi retirada de pauta outra matéria para conceder a medalha José Mariano, a maior honraria da casa, ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Nova votação não tem previsão de data.

Solicitação: Bolsonaro pede ao STF que suspenda decisão de Moraes sobre suspeita de interferência no caso Milton Ribeiro

Sonar: Lula faz estreia tardia no TikTok, mas supera engajamento de Bolsonaro na primeira semana

A vereadora Liana Cirne (PT) afirmou que a capital não irá homenagear quem não tem mérito. Já Cida Pedrosa , do PCdoB, comentou que não se pode premiar uma pessoa somente por ser mulher, que a primeira dama teria que ter contribuído com a humanidade e estar na luta pela população brasileira.

Vídeo: Deputadas discutem por homenagem à procuradora e juíza envolvidas em caso de aborto de menina de 11 anos

Olegária Mariano, que dá nome à medalha, foi uma abolicionista recifense do século 19. A honraria foi criada para homenagear mulheres que prestaram serviços à humanidade e à paz universal.

— Fui buscar uma mulher referência para essa Casa legislativa. Michelle Bolsonaro me representa. É mulher simples, humilde, do povo, que veio de Ceilândia (Distrito Federal) e conquistou um espaço que muitas mulheres gostariam de estar. Ela tem feito um trabalho de excelência — defendeu Michele Collins.

Vídeo: Deputada governista reage após colega bater em mesa durante bate-boca no Congresso: 'Já fizeram isso com o Lira?'

Após a votação, no momento em que o vereador Zé Neto (PROS) confirma que a matéria foi rejeitada, o público presente nas galerias gritou “fora Bolsonaro” .

Na mesma sessão, o vereador Dilson Batista (AVANTE) retirou da pauta o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) que solicitava a concessão da medalha José Mariano, maior honraria da Casa, ao presidente Jair Bolsonaro. Segundo Batista, a retirada não tem relação com a votação da homenagem à primeira-dama, mas deve-se à fidelidade partidária. Ele explica que o partido dele apoia a candidatura ao governo do estado da deputada federal Marília Arraes (SDD), que é oposição ao governo Bolsonaro, e indicou o vice da chapa, Sebastião Oliveira, também deputado federal.

A medalha de mérito “José Mariano” é conferida a qualquer pessoa física ou jurídica, desde que tenha se consagrado mundialmente por serviços prestados à humanidade e à paz mundial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos