Câmara de Representantes valida acordo para evitar default nos EUA

(Arquivo) O Capitólio, em Washington, DC, no dia 29 de julho de 2011

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos adotou, nesta quarta-feira, um compromisso orçamentário negociado com a Casa Branca, o qual afasta o risco de um "default" até o final do governo Barack Obama.

A medida foi adotada por 266 votos contra 167. A maioria dos republicanos votou contra, mas alguns moderados se aliaram aos democratas. Os republicanos são maioria na Casa.

O texto estabelece os orçamentos para os anos fiscais 2016 e 2017 e autoriza o Tesouro a continuar a fazer empréstimo no mercado até 15 de março de 2017. Essas medidas garantem que Obama não sofrerá uma crise orçamentária até deixar o poder, em janeiro de 2017.

Divulgado na segunda-feira à noite, o acordo foi negociado discretamente durante semanas entre os líderes republicanos de ambas as Câmaras, John Boehner e Mitch McConnell, e entre os chefes democratas Nancy Pelosi e Harry Reid, com a Casa Branca.

Agora, o texto deve ser aprovado pelo Senado antes da data-limite na próxima terça, 3 de novembro.

O compromisso põe um inesperado ponto final a cinco anos de confronto entre Obama, armado com seu direito a veto, e os republicanos, determinados a reduzir os gastos do Estado Federal.