Câmara do Rio aprova a concessão de subsídios à operação do BRT

·1 min de leitura

A Câmara dos Vereadores do Rio aprovou nesta terça-feira (16), por unanimidade, a concessão de subsídios à operação do BRT. Os subsídios, com isto, ficam válidos para o próximo contrato que será assinado e deve entrar em vigor no segundo semestre de 2022, de acordo com a Secretaria Municipal de Transportes.

O poder público, conforme projeções feitas pela prefeitura, deve investir algo entre R$ 150 e 200 milhões por ano na operação. Ao texto original do Executivo foram aprovadas oito emendas.

O novo modelo de concessão do BRT vai ser dividido em três licitações: uma para a locação dos coletivos, renovação e supervisão da frota; outra para a operação do sistema e manutenção dos ônibus, e uma terceira para implementação da bilhetagem digital — que incluirá ainda os serviços do VLT e dos ônibus comuns.

O BRT está sob intervenção da prefeitura desde março. Neste período, a Prefeitura investiu R$ 58 milhões, enquanto a arrecadação com passagens somou pouco mais de R$ 90 milhões. Desta forma, a prefeitura subsidiou cerca de R$ 1,50 por passageiro.

Atualmente, a frota total de BRTs se resume a pouco mais de 200 ônibus. Até 2023, a previsão é que o Rio conte com 515 veículos — a esta altura, o corredor Transoeste já estará operando. Os envelopes do edital de licitação serão abertos no próximo dia 7.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos