Câmara de São Paulo aprova reajuste de 47% no salário do prefeito Bruno Covas

MARTHA ALVES
·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO/ SP, BRASIL, 27.11.2020- Bruno Covas, Visita ao bairro Rio Pequeno. Coronavirus o COVID-19.  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2011271444310033
***FOTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO/ SP, BRASIL, 27.11.2020- Bruno Covas, Visita ao bairro Rio Pequeno. Coronavirus o COVID-19. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress) ORG XMIT: AGEN2011271444310033

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Câmara de Vereadores de São Paulo aprovou nesta quarta-feira (23), em segunda votação, o reajuste de 47% no salário do prefeito Bruno Covas (PSDB) a partir de janeiro de 2022. Com isso, o salário atual de R$ 24.175,55 passará para R$ 35.462. O projeto de lei vai para sanção do prefeito.

Nesta segunda votação, 34 vereadores votaram a favor do aumento e 17 contra. Houve uma abstenção. Em nota, o prefeito disse que aguarda o envio do projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal e que se pronunciará sobre o aumento "após o cumprimento dos tramites legais no executivo".

A aprovação do projeto recebeu críticas de alguns parlamentares que afirmaram que este não é o momento de apresentar propostas de reajuste devido a pandemia do novo coronavírus. Eles lembraram que os vereadores reduziram em 30% as verbas de gabinetes e os próprios salários antes mesmo da Assembleia Legislativa.

Além do salário do prefeito, a Câmara também aprovou o aumento dos salários do vice-prefeito e dos secretários municipais. Do vice, passa de R$ 21,7 mil para R$ 31.915,80. Dos secretários, de R$ 19.340,40 para R$ 30.142,70.

O reajuste do salário do prefeito muda o teto para o salário do funcionalismo público municipal e, assim, deve gerar um efeito em cascata aumentando salários de algumas categorias.

Em nota, a presidência da Câmara afirmou que o projeto de lei "trata de correção dos subsídios do prefeito, vice-prefeito e secretários em patamar abaixo da acumulada no período". "Desde a última correção, em 2012, a acumulada chega a 63,11% pelo IPCA e 100,41% pelo IGP. Importante ressaltar ainda que a correção valerá apenas a partir de janeiro de 2022 ", diz a nota.