Câmara de SP aprova em 1º turno a transformação da praça do Pôr do Sol em parque

·2 minuto de leitura
SÃO PAULO, SP, 07.07.2021- Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro, no Alto de Pinheiros, chamada de Praça Pôr do Sol, onde foi retirado os tapumes que fechavam a praça. A praça agora está cercada apenas por um alambrado e continua fechada. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 07.07.2021- Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro, no Alto de Pinheiros, chamada de Praça Pôr do Sol, onde foi retirado os tapumes que fechavam a praça. A praça agora está cercada apenas por um alambrado e continua fechada. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira (14), em primeira votação, a transformação da praça do Pôr do Sol, na zona oeste de São Paulo, em parque municipal.

O projeto, de autoria do vereador Xexéu Tripoli (PSDB), tem como objetivo que o espaço no Alto de Pinheiros, zona oeste, ganhe melhor infraestrutura, ao passar a ser administrado pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente e não mais pela subprefeitura da região.

O projeto ainda precisa passar por uma segunda votação e, em caso de aprovação, ser sancionado pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB).

O espaço está no centro de uma polêmica, após ser cercado para atender a pleito de moradores da região. No mês passado, a prefeitura concluiu o gradeamento do local.

"A área será qualificada, se tornando um equipamento público referência em atividades de preservação do meio ambiente, educação ambiental, atividade física e esportiva, espaço de lazer para animais domésticos e sanitários e bebedouro para os usuários", diz nota enviada pela assessoria do vereador.

Segundo o político, a mudança de status permitirá a instalação de mais equipamentos para atividade física, lazer e cultura sejam instalados.

"Nós já temos aqui na capital um bom exemplo de transformação deste tipo. O parque Buenos Aires, em Higienópolis, anteriormente era uma praça e se tornou um equipamento muito mais atrativo. Assim será com o Parque Pôr do Sol", disse o vereador em nota.

A praça foi fechada em abril de 2020 para evitar aglomerações neste período de pandemia do coronavírus. Neste ano, o local foi cercado.

A prefeitura afirmou à reportagem, ainda no final de janeiro, que a Subprefeitura Pinheiros fechou com alambrados a área, a pedido da associação de moradores do Alto de Pinheiros e da associação de moradores de City Boaçava, e que o custo total obra foi de R$ 652.953,78.

O fechamento da praça gerou críticas e protesto.

"A cidade de São Paulo vive novo episódio de um urbanismo excludente, de um urbanismo que não considera que o espaço público é um espaço de todos", disse a urbanista Raquel Rolnik, uma das vozes críticas à medida, em vídeo publicado neste ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos