Câmara de Vereadores de Goiânia autoriza posse virtual de Maguito Vilela no hospital

·2 minuto de leitura
Foto: Divulgação MDB

Na última sessão do ano nesta terça-feira, a Câmara de Vereadores de Goiânia (GO) aprovou dois projetos de resolução que permitirão que os eleitos em novembro tomem posse dos cargos remotamente na próxima sexta-feira e participem de forma virtual nas sessões se comprovarem estar com a Covid-19. Desta forma, o prefeito eleito, Maguito Vilela (MDB) poderá ser empossado mesmo internado em São Paulo em decorrência da doença.

Internado há mais de dois meses, Maguito não está mais infectado pela Covid-19, mas segue na UTI do hospital Albert Einstein na capital paulista, tratando complicações da doença. Desde o fim da semana passada, o prefeito eleito está em reabilitação, passando por diálise. Ele segue traqueostomizado, com sedação leve e seu quadro clínico é estável.

De acordo com o projeto de resolução aprovado pelos vereadores goianos hoje, o regimento interno terá a exceção para a posse do ano que vem. Além de Maguito, vereadores eleitos também poderão tomar posse por videoconferência ao apresentar um atestado médico para comprovar que estão com a doença ou se recuperando dela.

Originalmente, a resolução permitiria apenas que os vereadores tomassem posse dessa forma, mas uma emenda apresentada pelo correligionário de Maguito, Andrei Azeredo (MDB), foi acatada pelos colegas. Andrei não concorreu à reeleição e deixará a Câmara no fim desta semana, mas deve ter um posto na administração de Maguito.

Em suas redes sociais, o vereador afirmou que apenas propôs a extensão da possibilidade da posse por videoconferência para Maguito para dar mais conforto e tranquilidade aos que não desejam se expor ao vírus ou que estejam se recuperando.

“Por aqui seguimos confiantes de que em breve ele estará à frente da Prefeitura de Goiânia, dando prosseguimento ao seu mandato e honrando todos os votos recebidos na capital”, escreveu Azeredo em sua conta no Twitter.

A resolução foi criada para permitir que a Mesa Diretora da Câmara dos Vereadores e as comissões possam ser compostas, o que deve ser feito logo após a posse. Assim, os vereadores poderão participar e votar remotamente, desde que apresentem um atestado médico.