Câncer de pulmão: veja 3 sintomas menos comuns da doença

O câncer de pulmão é o terceiro mais comum em homens e o quarto em mulheres no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma), segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Em todo o mundo, é o primeiro em incidência entre os homens e o terceiro entre as mulheres.

Os sintomas do câncer de pulmão costumam aparecer somente quando a doença já está avançada. Por isso, pessoas com este tipo de tumor tem uma alta taxa de mortalidade: é a primeira causa de morte por câncer entre os homens e a segundo entre as mulheres, de acordo com estimativas mundiais de 2020.

A taxa de sobrevida relativa em cinco anos para câncer de pulmão é de 18% (15% para homens e 21% para mulheres). Apenas 16% dos cânceres são diagnosticados em estágio inicial (câncer localizado), para o qual a taxa de sobrevida de cinco anos é de 56%.

Os sintomas mais comuns do câncer de pulmão são:

No entanto, há outros três sintomas que são pouco conhecidos, mas que também estão associados ao câncer de pulmão e demandam uma maior atenção caso apareçam:

O tabagismo é a principal causa de câncer de pulmão. A exposição à poluição do ar, infecções pulmonares de repetição, doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica), fatores genéticos e história familiar de câncer de pulmão favorecem ao desenvolvimento desse tipo de câncer.

Idade avançada também é um fator de risco: a maior parte dos casos afeta pessoas entre 50 e 70 anos.

A detecção precoce do câncer é uma estratégia utilizada para encontrar um tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento bem sucedido.

A detecção precoce pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais, endoscópios ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença (diagnóstico precoce), ou de pessoas sem sinais ou sintomas (rastreamento), mas pertencentes a grupos com maior chance de ter a doença.