Cães e gatos resgatados em Brumadinho ganham ensaio de Natal

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os cachorros Caramelo, Roliço e Berlim e o gato Beto, alguns dos animais resgatados após o rompimento da barragem em Brumadinho (MG), estrelam um ensaio fotográfico de Natal para incentivar a adoção responsável.

São pets encontrados em áreas afetadas pela barragem ou que estavam em situação de risco nas comunidades e que ainda buscam um lar.

Dos animais domésticos cuidados e tratados pela Vale desde 2019, quando ocorreu a tragédia, 371 —244 cães e 127 gatos— já foram adotados. Outros 270 —230 cães e 40 gatos— aguardam uma família.

Magda Castro, supervisora da Fazenda Abrigo de Fauna —que recebe animais domésticos e silvestres das áreas atingidas—, afirma que houve uma queda preocupante no número de adoções e que o ensaio fotográfico traz esperança de que os peludos encontrem uma casa. Ela lembra que no fim do ano abandonos são mais frequentes, o que pode deixar sequelas nos animais.

"No início da pandemia as adoções aumentaram, mas em períodos de fim de ano os números caem consideravelmente e encontramos uma quantidade ainda maior de animais abandonados. Os traumas de um abandono deixam várias cicatrizes na vida de um pet, muitas vezes é necessário a ajuda de um veterinário para reverter esse quadro. Para incentivar que esses animais encontrem um novo lar, pensamos em uma forma lúdica para despertar a curiosidade e o interesse pela adoção responsável", diz.

Assim, os pets enfrentaram as câmeras e mostraram muita fofura.

Por causa da pandemia, eventos presenciais de adoção estão suspensos. Os interessados, no entanto, podem visitar a página Me Leva Pra Casa e conhecer os peludos disponíveis para adoção. Segundo a Vale, o site já recebeu cerca de 20 mil visitas e, em 2021, 95 animais foram adotados.

Todo o processo de adoção pode ser feito a distância. A Vale afirma que acompanha o pet ao longo dos seis primeiros meses.

Um desses animais com casa nova é Ernesto, adotado em setembro na Fazenda Abrigo de Fauna por Henrique Portela, morador de Mário Campos (MG). "Ele trouxe muita alegria e diversão para o lar. Descartamos alguns convites de fim de ano para passarmos o Natal com ele. Não abrimos mão da família, o bom velhinho não esquece de ninguém."

Já a cadela Aurora foi morar em Belo Horizonte. Elen Monteiro diz que a peluda é como uma filha, além de companheira de Princesa, sua primeira cadela adotada. "Aurora e Princesa fazem parte da família e nada melhor que passarmos o Natal todas juntas", diz, segundo a empresa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos