Cãozinho Bob, raptado após assalto, é encontrado em São Gonçalo pela polícia e família celebra: 'Só sei chorar e agradecer a Deus'

Arthur Leal
·3 minuto de leitura
Foto: Reprodução

Chegou ao fim nesta sexta-feira uma angustia que já durava nove dias para uma família no Rio. Assaltados na semana passada, na rodovia Niterói-Manilha, quando estavam a caminho da Região dos Lagos, onde passariam o feriado de São Sebastião, os parentes viram seu mascote, o cãozinho Bob, de cinco anos, ser levado pelos criminosos junto com um dos automóveis alugados por eles. Desde então, eles começaram uma busca incessante pelo cachorrinho. Nesta sexta, a história teve um final feliz quando policiais civis da 74ªDP (Alcântara) entraram em contato com os donos do pet.

— Eles ligaram para a gente da delegacia dizendo que o Bob tinha sido encontrado. Não deram detalhes porque o caso segue em investigação, mas minha sogra foi lá, pegou ele, e ele já está em casa. O que importa é que ele voltou! Estou muito, muito, muito feliz! — comemorou Luana Muniz, que desde o sumiço fez campanhas nas redes sociais para encontra-lo.

Hoje, ela, que há um ano passou a viver em Minas Gerais, conta que o pequeno Miguel, seu filho de apenas 1 ano, ainda não teve a oportunidade de rever o amiguinho peludo, mas que eles têm feito videochamadas com os parentes que já estão no Rio com Bob, que já recebeu todos os cuidados, inclusive banho e tosa.

— O Miguel é muito agarrado com o Bob desde que nasceu, e todo dia ele perguntava "cadê o Bob?", pedia para ver vídeos dele e tudo mais. Como estou em Minas, ele ainda não pode vê-lo, mas verá em breve. Neste momento, eu só sei chorar e agradecer a Deus. Meu cunhado, adolescente, que estava com o Bob no colo no momento em que os assaltantes o tiraram a força do carro, estava sem comer de tanta ansiedade querendo o Bob.

Procurada, a Polícia Civil ainda não deu maiores informações sobre a ação que levou os agentes de Alcântara até o cachorrinho. Em foto enviada à família, Bob aparece dando uma volta na viatura, vestindo inclusive um distintivo policial.

Família chegou a ser extorquida; suspeitos foram presos

Na angústia de reaver o animal, a família ofereceu uma recompensa para quem desse notícias sobre o cachorro. No entanto, dois estelionatário ligaram para o telefone que Luana divulgou em redes sociais e lhe extorquiram R$ 500. A família registrou o crime na 19ª DP (Tijuca) e a polícia, na noite de terça-feira, prendeu os bandidos.

Segundo a polícia, Breno dos Santos Cositorto ligou para a família e, se passando por traficante, disse que sabia sobre o paradeiro de Bob. O titular da 19ª DP, Gabriel Ferrando, responsável por investigar a extorsão, explicou que Breno, atraído pela oferta de recompensa publicada nas redes sociais pela família, fingiu ter informações sobre o cachorro. Foram feitas duas transferências por PIX para a conta do segundo acusado, Bruno Rodrigues Santana, usando inclusive o CPF dele. Embora os estelionatários tivessem apagado os dados bancários pelo aplicativo WhatsApp, durante a transação, a vítima responsável pelos pagamentos, fez uma foto da tela com as informações. Como eles não mandaram notícias sobre o animal, apenas a foto de um traficante armado, que poderia ter sido tirada de qualquer lugar, os donos do cãozinho desconfiaram. A vítima registrou a extorsão na delegacia da Tijuca. Pela conta do banco foi possível chegar aos suspeitos.