Cúpula da África Ocidental termina sem acordo sobre países com regimes golpistas

Os líderes da África Ocidental reunidos neste sábado em Gana não conseguiram chegar a um acordo sobre as sanções aos regimes golpistas de Mali, Burkina Faso e Guiné, e voltarão a se encontrar em julho na capital ganense.

As decisões da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Cedeao) "foram adiadas para uma reunião de cúpula aqui em Acra em 3 de julho", indicou um funcionário da presidência de Gana, que não quis ser identificado. Um participante do encontro confirmou que os chefes de Estado não chegaram a um acordo, "principalmente sobre o Mali".

Os líderes dos Estados membros da Cedeao haviam se reunido para decidir se aliviam ou endurecem as sanções contra esses países, onde militares tomaram o poder à força. A questão principal era se as duras medidas de retaliação impostas ao Mali em 9 de janeiro para frear o plano dos militares de governar por mais cinco anos seriam mantidas.

A África Ocidental foi cenário de uma sucessão de golpes de coronéis e tenentes-coronéis em menos de dois anos: um golpe de Estado em 18 de agosto de 2020 no Mali, outro em 5 de setembro de 2021 na Guiné, e mais um em 24 de janeiro de 2022 em Burkina Faso.

sd-lal/cl/pc/eb/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos