Cúpula da CPI da Covid diz que vídeo prova existência de gabinete paralelo

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - A cúpula da CPI da Covid considera que a sugestão de um 'gabinete das sombras' feita por médicos ao presidente Jair Bolsonaro, durante reunião que ocorreu em setembro do ano passado, comprova a existência de um aconselhamento alternativo sobre saúde no Palácio do Planalto. Para o presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM), a hipótese do gabinete paralelo foi levantada pelos senadores e já está provada. O relator Renan Calheiros (MDB-AL) chamou o grupo de 'Ministério da Doença'.

— Esse é o desespero do presidente em atacar a gente. Porque ele sabe que o que estamos fazendo é mostrar fatos. E o fato de ter levantado que tinha um gabinete paralelo falando sobre saúde foi a CPI que levantou isso. Está aí. Quer prova maior do que essa reunião? Não tem — disse Omar Aziz ao GLOBO.

Para Aziz, o deputado Osmar Terra (MDB-RJ), que sentou ao lado do presidente Jair Bolsonaro na reunião, era "o ministro do gabinete paralelo".

— Ali, eles estavam escolhendo quem deveria morrer e quem deveria viver. Eu não acho que existe gabinete paralelo, está provado. Você viu o ministro da Saúde ali na reunião? Eles estavam falando sobre andar de moto, sobre vôlei ou sobre saúde? — questionou. Na época, o ministro era Eduardo Pazuello, mas ele não estava presente.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que a cada dia fica "mais irreversível a elucidação do Ministério da Doença":

— A cada dia vai tornando mais irreversível a elucidação do Ministério da Doença. Aquele ali é o próprio Ministério da Doença que foi feito em contraposição ao Ministério da Saúde, mas que despachava com o presidente, fazia reuniões... — afirmou.

Segundo Renan, a convocação de Osmar Terra e do médico Paolo Zanotto, responsável pela ideia do 'gabinete das sombras', deve ocorrer na próxima terça-feira.

"A prova definitiva da existência do Gabinete Paralelo que a CPI já investigava. Estou convocando o Sr. Osmar Terra e o Sr. Paolo Zanotto para comparecer à CPI da COVID", escreveu Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que é vice-presidente da comissão, em suas redes sociais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos