Cúpula do PL tenta evitar debandada no Nordeste com chegada de Bolsonaro

·1 min de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A cúpula do PL tem se movimentado para evitar uma debandada de parlamentares e filiados dos seus quadros em estados do Nordeste após a confirmação da filiação de Jair Bolsonaro.

Nesta sexta (12), Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, divulgou uma nota oficial em que afirma que as as decisões sobre coligações nas eleições de 2022 em Pernambuco serão tomadas pela direção estadual do partido.

A nota foi interpretada como uma tentativa de Costa de evitar a saída de quadros que temem estar no lado oposto ao do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que tem preferência do eleitorado na região.

"Venho por meio desta esclarecer que caberá ao presidente do PL de Pernambuco, prefeito Anderson Ferreira, a condução dos trabalhos para a escolha dos nomes que constarão na chapa de candidatos majoritários e proporcionais das próximas eleições do Estado", diz a nota.

Mesmo com a sinalização da cúpula do partido sobre a liberdade para os arranjos nas chapas para o ano que vem, integrantes do PL de Pernambuco relataram à reportagem que será difícil evitar a perda de nomes para partidos que devem se aliar ao PT.

Como mostrou a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, deputado federais do partido afirmam que devem deixar a sigla para evitar desgaste na região onde o ex-presidente Lula tem apoio da maioria do eleitorado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos