Cabo Daciolo é intimado a depor no TSE no inquérito que apura informações falsas sobre fraude nas urnas

·1 minuto de leitura

RIO — O ex-deputado federal Cabo Daciolo (sem partido) foi intimado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a prestar esclarecimentos no inquérito administrativo que investiga a disseminação em massa de informações falsas sobre fraudes nas urnas eletrônicas. O ex-candidato à Presidência pelo Patriota é acusado de insultar a população contra o sistema de voto brasileiro durante as eleições de 2018. A defesa de Daciolo recorre e pede que ele seja excluído do processo.

Em setembro de 2018, um mês antes das eleições, o então presidenciável protocolou uma representação no TSE solicitando a adoção do voto impresso em cédulas. O deputado citava o arigo 59, que estabeleceria que a Corte pode, em casos excepcionais, determinar a votação pelo mecanismo das cédulas em detrimento da votação eletrônica. Na época, Daciolo chegou a fazer uma live para entregar o pedido para a então presidente do TSE, ministra Rosa Weber, que não o recebeu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos